segunda-feira, 30 de junho de 2014

"BOAS FÉRIAS"

Está de férias toda a gente!
para aos blogues dar descanso
na praia deitados na areia quente
para as ondas do mar olhando.

 De noite se fecha a janela,
para mais ninguém entrar
entra a brisa pela janela
para o quarto dela arejar.

Quero toda a gente de volta!
com sorrisos de muita alegria
que a tristeza se vá embora
antes do romper do dia!
(Eduardo Maria Nunes?

sexta-feira, 27 de junho de 2014

"GIN TÓNICO"

 As coisas boas da vida dão prazer!
no café-bar do Peter, era especial
gin tónico que bem o sabia beber
a Cidade da Horta, na Ilha do Faial
 daquele ponto alto a estava a ver.
No caminho para a caldeira,
na sopé tinhas lindas flores
toda ela tem muita beleza
a Ilha do Faial, nos Açores.
Transporte de quatro rodas,
carrinha ford trânsit, brilha
nela a cor azul, várias voltas
não sei quantas dei àquela ilha.
Nos Flamengos, durante a guerra,
acantonados, idos doutras bandas
de ordens muitos militares à espera
o fotografo cortou-me as chancas
que me protegiam os pés da terra.
Tem no terreno enorme inclinação,
das mais belas paisagens da natureza
entre a cidade da Horta e a caldeira
 na Ilha do Faial, Flamengos povoação!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 25 de junho de 2014

"AINDA ACREDITO"

Se eu fosse o Rei Leão!
do meu país era o presidente
para comer todos tinham pão
contentava toda a gente!

Penso, escrevo e digo!
não é proibido sonhar
a farinha é feita do trigo
amassada dentro do alguidar.

Depois da massa levedar,
se coloca em pedaços no tabuleiro
 em cima da pá, no forno entrar
sai cozido um bom casqueiro.

Para acabar com a corrupção,
estou pensando nisso
meter os corruptos na prisão
força selecção ainda acredito!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 24 de junho de 2014

"MARTELINHO"

São João molhado!
bate na cabeça o martelinho
com pão e chouriço assado
sardinhas, broa e vinho.

São Pedro, o culpado?
paga a divida Zé Povinho
deste Portugal endividado
na panela foi cozinhado
depenado, o passarinho.

Bota abaixo saboreando!
para esquecer um copinho
não se sabe até quando
 irá durar esse bailinho.

No chão batendo o pé!
rebentam balões no ar
não importa de onde é
toda a noite a dançar
no salão tanto banzé!

Santo António de Lisboa,
viva o São João do Porto
aqui na terra a vida é boa
por isso é que dura pouco!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 22 de junho de 2014

IV [SONETO (DES)PEJADO]

Num cappote embrulhado, ao pé de Armia,
Que tinha perto a mãe o cha fazendo,
Na linda mão lhe foi (oh céus) mettendo
O meu mangalho, que de amor fervia:

Entre o susto, entre o pejo a moça ardia;
E eu solapado os beijos remordendo,
Pela fisga da saia a mão crescendo
A chamada sacana lhe fazia:

Entra a vir-se a menina... Ah! que vergonha!
"Que tens?" — lhe diz a mãe sobresaltada:
Não pode ella encobrir na mão ensaboada:

Suffocada ficou, a mãe corada:
Finda a partida, e mais do que medonha
A noite começou da bofetada.
(Bocage)

sexta-feira, 20 de junho de 2014

"PASSADO, PRESENTE E FUTURO"

(IMAGEM GOOGLE)
Para que a vida não seja sempre vivida no escuro!
olhemos para cima, vejamos como eram no passado
no presente serão a causa de um desastroso futuro
 do símbolo, o inventor quantas mortes terá causado?
 O estrugido, na panela há muito tempo cheira a esturro
  quem não gosta, não come, põe nas bordas do prato.
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 18 de junho de 2014

"POEMA. . .ENCOSTA A CABECINHA"

(IMAGEM GOOGLE)
Porque o fez foi embora!
para a rua antes de terminar o jogo
encosta a cabecinha no ombro e chora
não assim na cabeça do outro.

Já era de esperar, o resultado final,
de qualquer maneira, eles comem tudo
tinham mesmo que vencer Portugal
os presumíveis donos do mundo

No rosto daquela mulher,
de tão contente a sorrir
de pé estava lá a tudo quer
  a dona do mundo a aplaudir.

Quando o monstro sorria,
o árbitro sentiu na espinha
arrepios, fez o que não devia
o jogador também razão tinha.

 Contra a Alemanha nunca venceria,
talvez pelo facto de ser cidadão português
mesmo que o não tivesse feito não ganharia
 no entanto, não deveria ter feito o que fez.
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 15 de junho de 2014

"NO ESTENDAL"

  Seca a roupa no estendal!
uma casa um craveiro na janela
  pousado no telhado um pardal
numa cidade, estreita ruela!

Na roseira perfumada rosa,
vermelha ela desabrochou
transformei a rima em prosa
um passarinho nela pousou.

Nos lábios, um doce beijo!
dentro do peito o coração
foi ao encontro do desejo
feliz, voando na imaginação.

Dos olhos uma lágrima caiu no chão,
de felicidade e alegria, não de tristeza
saúde, paz, carinho e amor no coração
na copa viva a selecção portuguesa!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 12 de junho de 2014

"Ó! GENTE, OLHA A COPA"

(IMAGEM GOOGLE)
ó! gente, não adormeçam!
porque o mundo ainda não acabou
que muitas alegrias aconteçam
a pensar nelas aqui estou.

A copa, vai hoje começar,
pontapé de saída, Brasil-Croácia
 vai mesmo com certeza ganhar
 canarinha e Felipão, tem graça.

Joga contra a Alemanha,
a selecção portuguesa
também já lá se encontra
ganhar é bom com certeza!

Duas selecções, assim penso,
pense você se quiser doutra maneira
com muita alegria na final pretendo
ver a portuguesa e a brasileira.
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 10 de junho de 2014

"10 DE JUNHO, DIA DE PORTUGAL E DE CAMÕES"

Dia 10 de Junho, dia de Camões,
E das comunidades portuguesas
Só nos dá alegrias e não tristezas,
Continua vivo nos nossos corações!

 Sem a língua de Camões!
a literatura não tem futuro
Portugal dos trambolhões
caminhando no escuro
na lama ficou atolado
dos pés até ao pescoço
disse o mais mal amado
caiu no fundo do poço
por amor, o malfadado
sofreu grande desgosto
 está sendo colonizado
 já foi país colonizador
qual deles o mais culpado
de onde tirar para onde por
à Espanha esteve anexado
 libertado pelo povo lutador.
Morria de tanta tristeza,
está, nos nossos corações
não morto, vivo com certeza
se voltasse agora Camões!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 6 de junho de 2014

"SEXTA-FEIRA MOLHADA"

Cansado ele seguia!
pela linha a transpirar 
de tanto esforço que fazia
com a máquina a fumegar
de Lisboa, direcção a Leiria
passou o comboio a apitar
pela Póvoa de Santa Iria
chove, chove sem parar
muito chove neste dia.
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 4 de junho de 2014

"A LAGARTIXA E A ARVÉOLA"

Cortaram o rabo da lagartixa!
com dores protestou furiosa
dos sobreiros tiram a cortiça
das azinheiras comem bolota.

Ficou presa por uma asa,
para caçar uma arvéola
na terra fresca lavrada
armaram a esparrela.

  Nos versos dos poemas.
com palavras que rimam
das asas voaram penas
nas ondas do mar caíram.

Entre os aros ficou entalada,
não resistiu aos ferimentos
morreu a infeliz pobre coitada.

Sem vida o corpo enterraram,
no sítio onde estava a esparrela
 no velório e no enterro, estiveram
todos os pássaros amigos dela!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 2 de junho de 2014

"A VOZ DESUMANA DOS POLÍTICOS"

Como falam alguns políticos portugueses, com a boca, sem pensarem com a cabeça.

Disse: Mira Amaral, quem está a mais na função publica que vá para casa. E então, por que não vai ele para casa  gozar a bem gorda pensão de reforma que recebe e dar banho aos cães se os tiver e lá se manter de boca calada,  em vez de dizer tanta baboseira

Disse: o Sr.  Presidente Cavaco,
no Palácio de Belém, aos rapazes da Selecção Nacional, de futebol, aquando da despedida, rumo ao Mundial 2014 a realizar no Brasil. Dêem alegria aos portugueses. Desta vez tem toda a razão em o dizer, porque ele só nos tem dado tristezas.

bate à porta amiga, a nova pobreza, à procura de comida, por causa da má política praticada pelos  maus políticos portugueses e causada pelas cegas medidas de austeridade. Para tapar o buraco de mil e seiscentos milhões de Euros. Deve o governo determinar que em todas as reformas que, mensalmente, ultrapassem 2.000.000 Euros, seja o restante devolvido às Finanças Públicas. Se assim fosse, se calhar o Sr. Mira Amaral, falaria noutro tom de voz, talvez, antes de falar pensaria com a cabeça e não deitava bujardas à toa da boca para fora!

domingo, 1 de junho de 2014

"A PORTA ESTÁ PERRA"

Olha...olha o Birra!
porque ele é merecedor
tubarão vai trincar a pila
do famoso vingador.

O em tudo mete o bedelho,
disse ele enorme adversidade
morria de fome o escaravelho
se ele menos trampa largasse.
  
Adivinhem lá que é!
esse animal tão fedelho
paga e não bufa, ó! Zé
melhoras não prevejo.

Felizmente, não sou cego,
mas de tal maneira isto está
já não vai lá, com ou sem lego
porque sinceridade lá não há!

Não pára de tanto ranger,
a porta está muito perra
o que mais irá acontecer
 as dobradiças ferrugentas
por causa da enorme greta
cheiram tão mal das ventas.

Falam uns respondem outros,
todos eles querem mais tacho
aqui no país dos políticos loucos
melhor, o carrascão do Cartaxo.

Dá saúde e faz crescer!
não apoquenta a gente
só as verdades sabe dizer
aquele que não mente!
(Eduardo Maria Nunes)

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010