quinta-feira, 29 de agosto de 2013

" TEIMOSIA DE UM DITADOR"

Mais uma vez a maioria violou
A Constituição da República Portuguesa
Brincadeira de mau gosto não passou
Tribunal Constitucional agiu com firmeza
Para esta maioria não contam
As leis aprovadas, legalmente, na Constituição
Que os outros chorem com fome não se importam
A vingança é parte integrante desta governação
Portugal, por garotos, governado
Tudo fazem para destruírem esta nação
Quanto mais sacrifícios mais endividado
As políticas erradas do governo eis a razão!

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

"AREIA E LIBERDADE"

Esta é dedicada ao amigo Virgílio
Diz ele, por natureza, é solitário
Para teres a certeza do que digo
Respondendo ao teu comentário
 Como podes ver nesta imensidão de areia
Há muita água, espaço e liberdade
Nesta praia alentejana
Aqui estarias à tua vontade
A caminhar ao lado de uma sereia!

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

"FUGIU DE CASA"

Uma vaca fugiu em Sequeira,
Quase uma hora andou à solta
Está bonita a brincadeira
Sem azeite para a açorda!
Vaca, de “pequeno porte”
Na auto estrada A11
Não foi atropelada, teve sorte
De pequeno porte informou a fonte
Na autoestrada que liga Braga a Esposende
Vaca "fugiu de casa"
Foi detida sem ter provocado acidente!

terça-feira, 13 de agosto de 2013

"O ESCARAVELHO"

 De férias na Carregueira, não pode!...
Podem os que estão em liberdade
 Uns com menos outros com mais sorte
 Aprovam as leis da disparidade.

Uns podem outros não
Por causa das leis sem trambelho 
Depois de tanta contestação
Com ela se alimenta o escaravelho.

 Faz com ela uma bola
A rebola de marcha atrás
Para  dentro de uma cova
 Trampa toda a gente faz!

domingo, 11 de agosto de 2013

"MAU ESTAR!

Deixaram toucinho com ranço!..
Com eles levaram ideia e lérias
Também têm direito ao descanso
Os briefings foram de férias...

Dos jornalistas afastar
Essa dita informação
Porque causam mau estar
No seio da coligação...

Repensar o modelo de comunicação 
Os briefings, não irão acabar
 Só autorizados pelo governo da nação
 Depois das férias, de cara lavada irão voltar?

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

"BOLO DOCE...BOLO AMARGO"

País maravilha!...
À beira mar plantado
Assaltado pela pirataria
Para o povo, bolo amargo.
Prontos a sair do forno
O bolo doce para os ricos
O amargo para o pobre povo
Pobres enteados...ricos filhos.

Não param de aumentar,
 Neste pais, as desigualdades
Só com o voto se poderá fazer parar
A máquina, infernal, dos disparates...
 O voto é importante, não deixe de votar.

 A pensar na inconstitucionalidade
Para adoçarem a boca dos conselheiros
Fabricam bolos doces a toda a velocidade
 Reles e sujos, fabricantes traiçoeiros!

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

"CAVALOS A TROTE"

Guerra...terror!
Lixo...poluição
Felicidade...amor
Alegria...na ocasião.
Depois de consumado
Tristeza...desilusão
Desejo realizado
Com prazer e beleza
Aparência...ilusão.
Luxo...riqueza
Rico...ladrão
Sério...pobre
Não amealha tostão.
Miséria...fome
Pobre nação
Cavalos a trote
Alimentados a ração.
Alegria no pagode
Esperança na navegação
Homens do mundo sem sorte
Para comer não têm pão.
Trabalham...deitam suor
Em proveito do patrão
Empresário explorador.
Pelas leis protegido
Sacrificado...trabalhador
Dos seus direitos banido.
Política...podridão
Democracia...subrevivência
Sem nada na mão
Vazia dispensa.
Falam sem razão
Sem perder a paciência
O povo ouve o sermão
Política...ganância
Dos políticos profissão!

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

"SABOROSO MANJAR"

Estalam foguetes no ar
Durante as festas de verão
Já estão a preparar
Saboroso manjar
Para o grande comilão.
Quando o verão terminar
As canas vão cair
Depois do povo votar
 Ganhadores a sorrir.
Tem cautela cidadão
Pensa antes de fecharem
A tampa do teu caixão!

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

«PRÓXIMA TEMPESTADE»

Portugal endividado!
Com a corda ao pescoço
Pela Tróika, empurrado
Para o fundo do poço...
Um vaidoso desiquilibrado
Arreigado à teimosia
Nunca deu canto do recado
Exagera em demasia...
Diz que a culpa é do passado
Para justificar o presente
Com as provisões falhadas
De tudo, diz estar consciente!
Na panela as caldeiradas
Ao lume em cima da trempe
Cheiro a esturro estão queimadas.
Sem esperança na caminhada
Mais incerteza se produz
Há muito tempo esperada
Ao fundo do túnel uma luz...
Quando se acenderá, não se sabe
Aumentam as desconfianças
 Aproxima-se catastrófica tempestade
Para as portas preparam as trancas!

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

"A MULHER DESCONFIADA"

A MULHER DESCONFIADA
Apesar de viverem na abundância, as coisas não corriam bem entre o marido e a sua jovem mulher.
Na verdade, ela estava convencida de que ele andava metido com a bonita empregada da casa.
Então resolveu preparar uma armadilha para apanhá-lo em flagrante.
Dispensou a empregada no fim de semana sem dizer nada ao marido.
À  noite, quando iam para a cama, o marido contou a história costumeira.
-Desculpe minha querida mas estou mal do estômago.
Outra vez. Vou tomar um pouco de ar e já volto 
A mulher saiu, rapidamente, pelo corredor, subiu as escadas e deitou-se na cama da empregada.
Mal tinha apagado a luz, veio ele, em silêncio e, sem perda de tempo, saltou para a cama e fez, fogosamente, amor com ela
Quando terminaram, a mulher disse, ainda ofegante: 
-Você não esperava encontrar-me nesta cama, não é querido? E ligou a luz.
-Sinceramente não, minha senhora!
respondeu o jardineiro.

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010