quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

SENTENÇA DE 1587 - TRANCOSO - PORTUGAL.

SENTENÇA PTOFERIDA EM 1587 NO PROCESSO CONTRA O PRIOR DE TRANCOSO

(Autos arquivados na Torre do Tombo, armário 5, maço 7)

"Padre Francisco da Costa, prior de Trancoso, de idade de sessenta e dois anos, será degradado de suas ordens e arrastado pelas ruas públicas nos rabos dos cavalos, esquartejado o seu corpo e postos os quartos, cabeças e mãos em diferentes distritos, pelo crime que foi arguido e que ele mesmo não contrariou, sendo acusado de ter dormido com vinte e nove afilhadas e tendo delas noventa e sete filhas e trinta e sete filhos;
de cinco irmãs teve dezoito filhas; de nove comadres trinta e oito filhos e dezoito filhas; de sete amas  teve vinte e nove filhos e cinco filhas; de duas escravas teve vinte e um filhos e sete filhas; dormiu com uma tia, chamada Ana da Cunha, de quem teve três filhas. Total: duzentos e noventa e nove, sendo duzentos e catorze do sexo feminino e oitenta e cinco do sexo masculino, tendo concebido em cinquenta e três mulheres".
Não satisfeito tal apetite, o malfadado prior, dormia ainda com um escravo adolescente de nome Joaquim Bento, que o acusou de abusar em seu vaso nefando noites seguidas quando não lá estavam as mulheres.
Acusam-lhe ainda dois ajundantes de missa, infantes menores que lhe foram obrigados a servir de pecados orais, completos e nefandos, pelos quais se culpam em desfeso de seus vasos intocados, apesar da malícia exegente do malfadado prior.
(agora vem o inesperado:)
"EL-Rei D. João II lhe perdoou a morte e o mandou pôr em liberdade aos dezassete dias do mês de Março de 1587, com o fundamento de ajudar a povoar aquela região da Beira Alta, tão despovoada ao tempo e, em proveito de sua real fazenda, o condena ao degredo em terras de Santa Cruz, para onde segue a viver na vila da Baía de Salvador como colaborador de povoamento português. EL-Rei ordena ainda guardar no Real Arquivo esta sentença. devassa e mais papéis que formaram o processo".

Agora percebo,  a razão dos "Sobas ou Régulos", conforme em Angola ou Moçambique  - África, terem muitas mulheres. Seguiram o exemplo do prior de Trancoso.  Os negros,  tudo o que faziam (principalmente roubar, diziam ter aprendido com os brancos).

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

LINDO, LINDO!

Ah brasileiros d'um raio! Desculpem-me a raiva , mas acho que escapam mesmo muito poucos, chiça!

O novo acordo não o provia....mas com a língua de Camões, não se brinca. Com a palavra, os professores de língua portuguesa: António Oirmes Ferrari, Maria Helena  e Rita Pascale. Presidente? Vale a pena ler pela aula de português.
Queridos Amigos,
Tenho notado, assim como aqueles mais atentos tambám devem tê-lo feito, que a candidata Dilma Roussef e seus sequazes, pretendem que ela venha a ser a primeira presidenta  do Brsil, tal como atesta a propaganda política  veiculada pelo PT na media.
Presidenta? Mas, afinal, que palavra é essa totalmente inexistente em nossa língua? Bem, veja:
No português existem os particípios activos como derivativos verbais. Por exemplo: o particípio activo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de nantar é cantante, o de existir é existente, o de mendigar é mendicante.
Qual é o particípio activo do verbo ser? O particípio activo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade.
Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a acção que expressa um verbo, há que se adicionar  à raiz verbal os sufixos ante,ente ou inte.
Portanto, à pessoa que preside  é PRESIDENTE, e não "presidenta", independentementedo sexo que tenha. Se dia capela ardente, e não capela "ardenta"; se diz estudante, e não "estudanta"; se diz adolescente, e não "adolescenta": se diz paciente, e não "pacienta". Um bom exemplo seria:
"A candidata a presidenta se comparta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado elegenta  para tentar ser nomeada representanta.
Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas atitudes barbarizantas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta.

Quando é que será que vão deixar, em paz a língua de Camões?

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

ESTA QUASE NINGUÉM ACERTA!

TESTE DE CONHECIMENTO DE LÍNGUA PORTUGUESA

Aí vai um desafio para quem quiser testar os seus conhecimentos de Língua Portuguesa. Na frase seguinte deverá ser colocado UM PONTO FINAL e DUAS VÍRGULAS para que a frase tenha sentido.
PENSE  antes de saber a resposta, que será dada através de comentário. Afinal, assim, não seria teste.

MARIA TOMA BANHO PORQUE SUA MÃE DISSE ELA DÊ-ME A TOALHA.

*A 'rasteira' está no facto do uso do verbo suar, confundindo com o pronome possessivo (sua)... A Língua Portuguesa é mesmo traiçoeira...

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

O NOSSO BIÉ - CHINGUAR - ANGOLA , DE FILOMENA ALCOBIA.

Chinguar era sede de Concelho, ficava a 1.811 metros de altitude, uma vila não muito grande, mas muito urbanizada. Vila muito hospitaleira, em especial quando se comemorva a festa do dia 12 de Maio, que era festejada no alto da serra, a que chamavam "morro", e onde muitos anos atrás tinha sido construída uma capelinha, cuja padroeira era Nossa Senhora de Fátima.

O nome de Chinguar - quer dizer "terra das perdizes", por noutros tempos, ali ter havido muitas; deriva das palavras indígenas  "Chingue" (casa) e "Guari " (perdiz).

A população e arredores acorriam ao local, onde se fazia uma procissão com o andor de Nª. Sª. aos ombros, num caminho muito íngreme. Depois da missa, que era campal, cada qual arranjava um recanto, onde cada um fazia o seu almoço, ali mesmo, ao ar livre: boas caldeiradas, churrascos, pastéis de bacalhau, etc.,etc..

Não faltavam as malandrices do Tété (Coelho), que na brincadeira ia "rapinar" os pastéis  de bacalhau pelas barracas alheias. Tudo isto feito na maior das alegrias.

Da parte da tarde havia música, com matiné animadissíma. O recinto ficava cheio de gente simples e animada, e só à noitinha é que a malta se ía embora, com a alegria e felicidade estampadas nos rostos. Quantos namoriscos ali começaram, e que mais tarde, acabavam em casamento.

Havia ainda outros festejos, que eram comemorados no dia 15 de Agosto, dia de Nª. Sª. da Assunção, padroeira da Vila.

Das pessoas mais antigas do Chinguar (e até do tempo da Guerra 14-18) os chamados "colonos", eram o João Gordo, o Correia (Salussinga), o Manuel Marques (dono dos moinhos de água, que ficavam a 11 quilómetros da vila, a caminho do Chitembro), o Raimundo Sapateiro, o velho Cabral, os Seabras, o Campos de Oliveira, o Pais de Oliveira, o velho Cravo, o Lopes Alves, o Costa da pensão, etc., etc..

O atrás citado senhor Raimundo, era um adepto ferrenho do Sporting de Portugal. Quando este club ganhava, ele punha sempre um boneco (jogador do Sporting) feito em arte indígena, à porta da sua casa, para fazer pirraça aos adeptos do Benfica, que por lá passassem. Estes ficavam furiosos com a provocação...Chegavam a dar pontapés no boneco...Chagava a haver grandes  "makas"...Mas depois acabava tudo em bem.Se calhasse até iam beber um copo juntos...

O seu club desportivo de futebol era a Associação Benficiente Recreativa do Chinguar, e foi fundado por volta de 1925. Eis os nomes de alguns jogadores que faziam parte do grupo desportivo (1928) António Darte, Vila Nova, João Pinto, António Pinto, João Morais, Ascenso, Luís Almeida, Chico Alves...

Mais tarde por volta de 1950, a equipa era formada (entre outros), por: Adriano Achino, Correia, Nongue, Joel, António Seabra, Aveleira, António Cabral, Fernando Valente, Óscar Valente, Manuel Barros, Paiva, Cartucho (italiano)... O treinador era o Aspirante Correia de Oliveira.

O Chinguar era terra de muita fruta e boas hortaliças, que se exportavam para o litoral: entre outras frutas, destacam-se os apetitosos morangos. Repolhos seguiam em grandes cestas, para outras zonas, via C.F.B..O comboio chegava a estar parado por uma hora, a carregar este géneros.

Pensa-se que o nome do comboio de mercadorias, o tão conhecido" Camacouve", tenha tido origem  aqui no Chinguar,  pelo facto de serem carregadas tantas couves para outras zonas, com menos produção destes produtos.

O C.F.B., no quilómetro 516 teve o seu términus, durante muitos anos, neste vila do Chinguar, pois a ferrovia chegou ali por volta de 1917, e só arrancou novamente até Camacupa em 1928, sendo assim durante esses anos todos, a vila do Chinguar, o ponto mais forte do comércio no centro de Angola. O comércio era feito com pessoal que vinha dos Luchazes, de Serpa Pinto, do Bailundo, etc.

Conheci a Vila do Chinguar, foi lá que casei, em 1972,  as minhas duas filhas nasceram lá. Vivi,  naquela vila alguns anos. Até dia 12 de Setembro de 1975.  Data em que, com muita pena tive de partir.  Hoje, recordo os bons momentos de felicidade que lá passei. Bem como, todas, as pessoas com as quais tive a oportunidade de conviver.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

DE MOTO NAS ESTRADAS DE ANGOLA LUANDA-GENERAL MACHADO (CAMACUPA)

Hoje, decorridos que são mais de quarenta anos, da minha viagem de moto Luanda - General Machado (Camacupa), vou aqui dizer como foi essa maravilhosa viagem. Outubro de 1969, encontrava-me a prestar serviço, na sexta Esquadra da Polícia de Segurança Pública de Angola, situada  no Bairro Prenda em Luanda, para onde havia sido transferido proveniente do comando distrital da PSP do  Bié-"Kuito". Em virtude de ter passado por General Machado, onde tive a oportunidade de conhecer muitas pessoas, cuja nossa amizade jamais poderemos esquecer. Motivo pelo qual em Outubro de 1969, resolvi fazer-lhes uma visita, tendo realizado a viagem de moto. Pelos amigos tudo deveremos fazer. Posso dizer que, apesar da distância foi maravilhoso. Sai de Luanda pela manhã, ao fim da  tarde cheguei ao Alto do Wama. O cansaço foi mais forte do que eu, pelo que resolvi pernoitar naquela localidade. procurei uma pensão, tendo o seu proprietário indicado para estacionar a moto junto da janela do quarto, no exterior, era rés-do-chão, assim o fiz. Após ter bebido uma cerveja, recolhi aos meus aposentos para descansar até chegar a hora de ser servido o jantar. Deitei-me em cima da cama, e lá adormeci, só tendo acordado por volta das sete horas do dia seguinte. Dirigi-me à recepção, a fim de pagar a estadia, e ao mesmo tempo tomar o pequeno-almoço. Todavia foi-me perguntado porque motivo não tinha comparecido para o jantar. Tendo eu respondido, não compareci, porque vinha muito cansado e só acordei  hà poucos minutos. Pelos amigos o esforço não conta.
A viagem não terminou aqui, pelo que continuei estrada fora em direcção a General Machado (Camacupa), via Bailundo, Bela Vista, Chinguar, nome de perdiz, ave que abundava naquela zona, Cangala, Cuquema pequena povoação junto ao rio com o mesmo nome, Silva Porto-Bié-"Kuito", Silva Porto - Gare, Nova Sintra (Catabola), e finalmente General Machado (Camacupa). Cuja distância  no velocímetro indicava ter percorrido 930 quilómetros. Mas, valeu a pena. passei cerca de quinze dias naquela maravilhosa localidade, a conviver com os meus amigos. Tudo o que é bom acaba depressa, e chegou o dia do regresso a Luanda. Triste por ter que partir, mas ao mesmo tempo muito feliz, por ter visitado os meus amigos e os ter deixado de boa saúde.
A moto não era esta que está  na imagem, era outra, uma honda 175 CC.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

EM TOPLESS CONTRA REGRAS DO EURO 2012

O Femen é um grupo ucraniano de protesto com base em Kiev e foi fundado em 2008. A organização tornou-se internacionalmente conhecida por ir em topless para protestar contra o turismo sexual, o sexismo e outros males sociais   Foto: EFE
Duranre o Euro 2012, os ucranianos estarão proibidos de usar as varandas para estender roupa, guardar objetos ou andarem de roupa interior. Grupo de ativistas expressou a sua indignação. Para promover a beleza de Kiev durante o compeonato de futebol Euro 2012, o Governo Ucrâniano aprovou uma lei que proibe os cidadãos de irem à varanda de casa em lingerie e de ali estenderem suas roupas ou guardarem grandes obejetos. Em resposta. Grupo de ativistas fez um protesto em topless. As ativistas do grupo FEMEN. Uma Organização não Governamental que defende reformas políticas que ocidentalizem a Ucrânia, enfrentarem os cinco graus negativos e subiram a uma varanda de Kiev nuas da cintura para cima. Alegando que "as varandas nossas varandas são os nossos castelos", as ativistas marcaram a sua posição; Queremos poder andar nas varandas em lingerie à vontade".
Os governos eventam leis que não fazem qualquer sentido. Então as varandas das casas não ficarão mais belas assim com tantas maminhas, que até dá vontade de lhes dar uns beijinhos naqueles mamilos, tão bicudinhos?

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010