sexta-feira, 11 de julho de 2014

"SEM ALPERCATAS"

Na malhada ladra o cão!
guarda bois e vacas o boieiro
no empregado malha o patrão
no povo malha o governo...

Olho vivo e pé ligeiro!
os cabritos e as cabras
também ralha o manageiro
pés feridos sem alpercatas.

Zé Povinho cala a boca...
pois, ainda tens muita sorte
come se quiseres a açorda
  ou preferes morrer de fome?

Se quiseres colher semeia!
ou então abandona a tua pátria
têm de continuar de barriga cheia
os prevaricadores da desgraça...
(Eduardo Maria Nunes)

6 comentários:

  1. Oi Edú não sei nem como comentar,somente lhe digo que aqui no Brasil é a mesma coisa.
    bjs amigo e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  2. Vivemos em época de míngua.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. "Se queres colher semeia" é um bom conselho.
    E eu, toda a minha vida, tenho tentado segui-lo.
    Bom fim de semana Eduardo!

    ResponderEliminar
  4. Estamos na mesma situação amigo!


    Um abraço!

    ResponderEliminar
  5. Oi Eduardo! Belo poema! Aqui um Zé povinho chegou lá e transformou-se num prevaricador.

    Abraços,

    Furtado

    ResponderEliminar
  6. Dizem que o Alentejo é árido e seco. Mentira!
    É anedota, mas vale:
    Uma técnica da Agricultura questionava um Alentejano se a terra dava (uma a uma) várias espécies. O Alentejano respondia que não.
    Então ela perguntou: se plantasse um grão de trigo ele não dava nada? O Alentejano respondeu que " se plantasse" isso já era outra coisa. Claro que dava.



    Abraços



    SOL

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010