terça-feira, 19 de julho de 2011

O LUTO.

                   CATARINA EUFÉMIA

                 Na terra ensanguentada,
               Com o sangue de Catarina
           Camponesa, tua voz  foi calada
                  Por uma bala disparada
                  De uma arma assassina
           Por causa de uma politica cega
                  Era o povo aporrinhado
     De Baleizão, para S. Bento, não  arreda
                 Porque Salazar o proibiu
       Sem saber de que lada vinha o vento
             Também o povo nunca ouviu
                 Em silêncio continuaram
                 O que Catarina começou
      Seu sangue, ficou, na terra derramado
             Quando no campo a trabalhar
                Contra a miséria que havia
                       Catarina protestou
 Pela repressão era ameaçada, Catarina sabia
         Pela sua morte, Baleizão se enlutou.

9 comentários:

  1. Fizeste-me ir à wikipédia ver se era alguma data especial relacionada com a Catarina Eufémia. Como não sou muito ligado a estas coisas, não sei de memória as datas do nascimento e morte desta heroína alentejana.
    Aproveitei para me actualizar, lendo de fio a pavio toda a história publicada naquele site.
    Muito bons os versos que aqui nos trazes!

    ResponderEliminar
  2. A Eufémia ficou na história, mas muitas Catarinas levaram o mesmo fim, é bom recordar, para que não esqueçamos nós os mais anigos esses tempos de escuridão, e para os que não viveram esses tempos, compreenderem que a Liberdade deve ser preservada custe o que custar.
    Ditadura nunca mais.
    Um abraço
    Virgílio

    ResponderEliminar
  3. Muito bem lembrada em forma de versos!.. Parabéns Eduardo!

    Beijoquinhas super em seu coração...
    Verinha

    ResponderEliminar
  4. Ditadura nunca mais!
    Ditadura nunca mais!
    Ditadura nunca mais!
    É bom lembrar de vez em quando, o que custou a Liberdade, para ninguém ter saudades, nem dos ditadores, nem desses tempos!

    ResponderEliminar
  5. Um feliz dia do amigo pra ti meu amigo...abraços fraternos.

    ResponderEliminar
  6. Muito interessante!! Porem bem diferente das poesias que venho vendo em blogs. feliz dia do amigo.

    ResponderEliminar
  7. Estamos distantes e ao mesmo tempo tão perto..
    A amizade
    que nos une pode vencer todas as distâncias.
    Ela sim é mais forte que o tempo.
    No decorrer da nossa existencia se vacilamos
    em alguma coisa.
    Seus verdadeiros amigos estão ali sempre
    a seu lado mesmo se o Mundo conspire
    contra você.
    Hoje quero deixar um abraço através dessa telinha e dizer
    te amo linda amizade por tudo que representa na minha vida.
    Um beijo carinhoso da sua afilhada ,Evanir.
    Tem o presente na postagem.
    Amigos Para Sempre.

    ResponderEliminar
  8. Olá sou Magno Oliveira responsável pelo Blog Folhetim Cultural, convido lhe hoje a conhecer o nosso blog, que tem além de notícias, tem também atrações culturais. Como poesia, contos, crônicas e muito mais...
    Conto com sua visita no nosso espaço.

    Blog: informativofolhetimcultural.blogpost.com
    E-mail: folhetimcultural@hotmail.com
    Twitter: @folhetimcultura e @oliveirasmagno

    ResponderEliminar
  9. A esperança e a alegria de viver esta
    nos atos de amor que praticamos.
    Quero viajar todos os dias semeando
    a paz no coração dos amigos (as)ser
    apreciada por minha presença.
    Quero jogar flores por onde
    eu passar.
    E em silêncio deixar a palavra
    mais bonita.
    (Creia em Deus porque viver é fantástico.)
    Um beijo na alma e no coração com carinho da sua afilhada ,,Evanir,

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010