segunda-feira, 6 de julho de 2015

"MILITARES, NO LAGO NIASSA"

Nas asas dum morcego!
 um mosquito bailando
por-se em sentido o mancebo
o oficial estava mandando.

O mosquito foi às cegas,
nas orelhas do morcego ferrar
tudo em redor virou às avessas
quando viu o sangue jorrar.

Moçambique, foi no Cobué,
onde havia muitos mosquitos
deu numa pedra um pontapé
foi acertar em dois ouriços.

Só visto, contado não tem graça.
ficaram de tal maneira assanhados
espetados nos chifres duma pacaça
no forno da padaria foram assados.

Nadava no Lago Niassa!
houve rancho melhorado,
naquele dia onde parava
ninguém sabia do recado?

Ainda bem que naquele dia,
 mais nenhuma desgraça aconteceu
descontente, um soldado dizia
de lá tão longe, para aqui vim eu.

Sai da minha terra,
entrei dentro dum barco
 vim parar esta guerra
sem eu dela ser culpado!
(Edumanes)

13 comentários:

  1. Do Lago Niassa muitas saudades
    Da guerra não tenho não
    Sem galões, mas com vaidades
    No Lago davam banho ao c...

    Cá vai mais um abração.

    ResponderEliminar
  2. .
    Aqui uma frase retive
    HOUVE RANCHO MELHORADO
    Na Companhia onde estive
    Era só rancho marado

    Chegados ao destacamento
    Após outra operação
    Era chegado o momento
    De tão famosa refeição

    O tal rancho melhorado
    Mais parecia um banquete
    Salsichas e ovo estrelado
    E nós fodidos do capacete

    Em tão preciosa iguaria
    Se acrescentava jindungo
    E assim logo acabaria
    O lamento e o resmungo

    Para acompanhar o repasto
    Pela goela escorria Cuca
    O pessoal já tão gasto
    A pensar no truca-truca.




    ResponderEliminar
  3. Truca,truca a zumbar,
    em silêncio na cubata
    não me vou alongar
    c'agrande essa tua lata!

    Churrasco com jindungo,
    era comer e chorar por mais
    de teres passado no Bailundo
    será que ainda te lembrais?

    Ou será que de Maiombe,
    para a cidade de Luanda
    passaste por Malanje?

    ResponderEliminar
  4. É sempre assim amigo! Sempre sobra para o mais fraco. Lindo poema!

    Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

    Furtado

    ResponderEliminar
  5. .

    Nem Malanje nem Bailundo
    Não conheci não Senhor
    Estive em meio mundo
    Conta-me desse por favor

    De Luanda pro Mayombe
    No Nord Atlas barulhento
    Lá sofri com a hecatombe
    Naquele pobre destacamento



    ResponderEliminar
  6. Neste preciso momento,
    eu te conto sim senhor
    lá por onde eu andava
    em Angola, não havia terror!

    Não é mentira, não,
    para lá fui de barco,
    para cá vim de avião
    foi muito mais rápido.

    ResponderEliminar
  7. Fui muitas vezes ao Cobué, mas só de visita. Os mosquitos comigo não se safaram!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os mosquitos, contígo não se safaram ?????
      Parabéns.
      Deves ser, caso ÚNICO.

      Será que , a tua farda era um escafandro, 24 horas/dia ????????

      Eliminar
  8. Nem manga ou abacate
    Havia naquela mata atroz
    Comíamos ração de combate
    Os mosquitos nos comiam a nós.


    ResponderEliminar
  9. Atã! Foi mesmo por causa isso,
    nã tinha pêra abacate naquela mata
    depois de teres sido engolido
    pelo mosquito, ficaste fantasma?

    ResponderEliminar
  10. O sacana do mosquito
    Me injectou paludismo
    Fiquei pior que um pito
    A cair para o abismo

    Fantasma por outra razão
    Nome de guerra ficou
    Quando num golpe de mão
    Viram o que se passou

    ResponderEliminar
  11. Distante, esse tempo já lá vai,
    só tenho saudades da juventude
    que por lá ficou perdida, com o ai
    no vale do prazer, abaixa altitude!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. .

      Tens saudade da juventude
      Ó tempo volta pra trás
      És um homem com virtude
      Um velho jamais serás

      Eliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010