segunda-feira, 29 de junho de 2015

"ALFARROBAS E AMORAS"

O chantagista, continua!
a chantagear o cidadão
se eu pudesse para a rua
já lhe dava um empurrão.

Sempre com ela pela mão,
 leva a sua postura tão marota
sentir na tola o calor neste verão
vai para a apanha da alfarroba.

Que vá quanto antes sem demoras,
para à nora não nos fazer mais andar 
pelo caminho encontrará amoras
para com a sua matraca mastigar.

Se fosse, bem melhor seria,
sem rolha no gargalo, garrafão
transparente o fundo se via
que não escondia aldrabão!

Eu que sou cidadão,
português, do Alentejo
pensei que era mas não
por isso não o invejo!
(Edumanes)

6 comentários:

  1. Oi Eduardo! Mais uma vez, nos ofertas um belo poema, e que sobre o tema, me abstenho de comentar por desconhecê-lo.

    Abraços e um ótimo São Pedro para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderEliminar
  2. Amoras iguais a estas já tenho, como só me faltam as alfarrobas, traz-me uma alfarrobeira do teu Alentejo para plantar junto da minha Figueira! Obrigado amigo, eu sabia que podia contar contigo!
    ABRAÇÃO.

    ResponderEliminar
  3. Amigo Eduardo mais um pelo poema da sua inesgotável safra.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
  4. Por falar em alfarrobas, é um fruto que desapareceu do mercado e é/era um fruto saboroso e com algumas propriedades medicinais.
    Terão desaparecido devido aos incêndios??
    Um abraço amigo Eduardo.

    ResponderEliminar
  5. Amoras e framboesas, para que sejam boas devem estar bem tesas!
    Boa rima, amigo Eduardo!

    ResponderEliminar
  6. Adoro amoras...Mais um belo poema!!
    Lindo Eduardo!
    Um abraço.

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010