quarta-feira, 26 de março de 2014

"ROSA NEGRA"

Menina de vestido branco!
A Vila Cabral(Lichinga) voltei
Hoje, o passado recordando
Rosa Negra, bela a encontrei!

Nascida na roseira!
Rosa negra florida
Bem à sua maneira
De pétalas vestida!

Filha de roseira perdida!
Pelo jardineiro foi podada
Desabrochada rosa florida
Rosa, Negra, perfumada!

Em Vila Cabral, morava ela!
Tão linda era ela bronzeada
Filha de roseira, flor bela
Jovem menina apaixonada!

Tive sorte, nenhuma pisei!
Estava uma mina colocada
Por picadas também andei
No meio da mata serrada!

Tanta dor tanta angústia!
Enterrada ninguém a viu
Numa triste noite escura
Mima assassina explodiu!

Cumprindo o serviço militar!
Aconteceu próximo do Cobué,
Numa noite escura, sem luar!
Caminhava com esperança e fé
De um dia à sua aldeia voltar!

Na picada poeirenta, a sangrar!
Pela pátria mais um soldado perdido
Em Moçambique, na guerra do Ultramar
Sem pernas, sem vida, no chão caído!
(Eduardo Maria Nunes)

11 comentários:

  1. Como é bom voltarmos ao passado amigo Edu.Recordações que ficam para toda vida.
    bjs
    Carmen Lúcia

    ResponderEliminar
  2. Para mim as coisas tristes são para esquecer e as alegres para lembrar para o resto da vida!
    Parabéns poeta Eduardo, cá vai o meu abraço.

    ResponderEliminar
  3. Viajei na beleza deste poema! As coisas boas que para trás ficaram é sempre bom ser lembradas.
    Abração.

    ResponderEliminar
  4. Muitas vezes só necessitamos de uma palavra de conforto, de ânimo,
    de alguém que dedique um pouco do seu tempo para nós.
    E são nessas muitas vezes que encontramos nossos amigos virtuais!
    Hoje venho te abraçar pelo dia do amigo virtual.
    Você é benção na minha vida.
    Quero estar em sintonia contigo
    por muitos anos .
    Como muito carinho deixei um mimo na postagem,
    simples mais de todo coração.
    beijos te agradeço pela nossa amizade.
    Padrinho..
    Linda fotografia com a bela Rosa..
    Uma poema dedicado a ela
    parece um hino de amor.
    Antes de conhecer você não tinha conhecimento dessa guerra em Moçambique.
    Lida volta no tempo com sabor de saudades.
    Beijos da afilhada.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  5. Bela poesia para recordar as nossas aventuras e desventuras vividas no Niassa. Passo a passo vais coleccionando peças para o teu livro de poesia que não desanimo de um dia ver publicado.

    ResponderEliminar
  6. O tempo passa, mas, não esquecemos pessoas e fatos que nos tocaram profundamente. Bela homenagem `a Rosa Negra.
    Beijos, querida amigo Eduardo!!!

    ResponderEliminar
  7. Há acontecimentos que marcam a vida da gente e que valem a pena serem lembrados. Belo poema amigo. Linda homenagem!

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderEliminar
  8. Voltastes de novo a Vila Cabral! Andavas com saúdades da Rosa Negra!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  9. Convém, de quando em vez falar ou escrever sobre a guerra, para que ninguém esqueça a Juventude que por lá ficou, sem direito a enterro na Terra onde nasceu, outra regressou estropiada, e os que se salvaram sem danos físicos ou psíquicos têm obrigação moral de recordar isto os mais novos, pois muitos pensam que eram viagens turísticas que os Militares faziam ás antigas Províncias Ultramarinas..
    Um abraço
    Virgílio

    ResponderEliminar
  10. Voltar a um passado onde haviam dias muito duros...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  11. Lindo reencontro nessa volta ao passado,Edu! Bela poesia! A tua interação linda está lá! Obrigadão, abraços,chica

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010