segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

"PELICA"

Fui à feira da Abela!
Para comprar uma pelica
Por que não tinha guita
Voltei para casa sem ela.

Tropecei numa melancia!
A correr passou o caranguejo
Foi cair dentro de uma bacia
Dei um pontapé num sexo,

Do dedo grande saltou a unha,
Do meu pé, descalço, direito
Deitou uma grande fagulha
Disse o esquerdo, bem feito.

Com esperança olhei para o céu,
Não caiu nas minhas mãos a guita
Triste, pela vereda caminhava eu
Por não ter comprado a pelica!
(Eduardo Maria Nunes)

6 comentários:

  1. Um azar nunca vem só
    Português é mesmo assim
    às vezes até mete dó
    Quando vota em gente ruim

    ResponderEliminar
  2. Mesmo sem a gente querer,
    A política entra em todo lado
    Toda vida tenho andado a correr
    Para não chegar atrasado!

    Não comprou a pelica.
    Caminhava o rapazote
    Na algibeira sem guita
    Para a rima levava o mote!

    ResponderEliminar
  3. Bonito poema Amigo Eduardo, há muito que não ouvia falar de pelica, muito em voga quando era mais novo.
    Um abraço
    Virgílio

    ResponderEliminar
  4. Bom dia meu poeta querido
    Gostei dos versos e falar em pelica nunca mais vi ...mas deve ter muitas por ai ainda parabéns por tudo

    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderEliminar
  5. Chama-se pelica por ser feito de pele ou não tem nada a ver com isso?
    Continua a rimar que a coisa está cada vez melhor!

    ResponderEliminar
  6. Isso agora é que eu não sei explicar,
    Só sei dizer que é feita de pele de ovelha
    Continua o barco à deriva em alto mar
    Comandado pelo comandante aselha!...

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010