segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

"NOJENTA"

Vem aí o Ano Novo!
nada de certeza traz
de bom para o povo,
por que não é capaz
causa mais estorvo
a guerra do que a paz,
do cu da galinha o ovo
cai no chão, contas não faz
se perde a clara e a gema
nada mais se aproveita
porque a riqueza gera
muita mais pobreza!
Duvidas, não tenho disso
como quiser cada um pensa
em nenhum deles acredito
 porque a mentira é nojenta!
(Edumanes)

sábado, 20 de dezembro de 2014

"UM TIRO NO PORTA-AVIÕES"

Na Luz causou apagão!
a Águia aos trambolhões
um tiro no porta-aviões
 duas penas caídas no chão.

 O presente no sapatinho,
aos adeptos foi deixado
será que perdeu o tino?
anda na terra desorientado
caminhando sem destino
de cabelo desgrenhado!

 O que andará a fazer,
Jorge Jesus, ai! Jesus
não podem acontecer
 mais apagões na Luz!
(Edumanes)

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

"PARDAIS NO TELHADO"

 (Imagem Google)
Passei para lá de Garvão!
a caminho de Ourique
a pensar ninguém fique
que sou algum molengão.

Subi a montanha a pique,
num dia de forte ventania
bem lá no cimo onde estive
escrevi esta simples poesia.

Nas bermas havia matagal,
nada vi na vereda a corcovar
sempre, em tudo fui pontual
cuidadoso para não tropeçar.

Antes de Santana da Serra,
nos corgos havia muitas estejas
mondando o trigo na primavera
vi as mulheres camponesas.

Há coisas que valem menos,
do que meio tostão furado
relincham no prados os garranos
os pardais fazem ninho no telhado!
(Edumanes)

sábado, 6 de dezembro de 2014

"UIVAM OS LOBOS"

(Imagem Google)
Deles todos estou farto!
de ouvir tantas mentiras
cada vez há mais famílias
 atoladas dentro do charco.

O ministro da solidariedade social,
considera ele ser um sucesso, só visto
cantinas de caridade para ele regozijo
o aumento da pobreza em Portugal.

Protege a careca com a boina,
quem na cabeça não têm pelo
se tivesse nascido duma jibóia
não seria como é tão camelo?

 Têm guardados tesouros,
eles roubam nossos tostões
lá na serra uivam os lobos
  do outro lado ladram os cães.

  Para continuarem a roubar,
 deixa em liberdade os ladrões
 de igual a justiça não funcionar
 no país para todos os burlões!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

"GOTA DE ÁGUA"

GOTA DE ÁGUA 

A lágrima triste
Que por ti surgiu 
Mal que tu a viste,
Quase se não viu...

Como quem desiste,
Logo se deliu...
E, mal lhe sorriste,
Logo te sorriu

Já não era a dor,
O sinal aflito
Duma funda mágoa
Era o infinito,
- O infinito amor,
Numa gota de água...

terça-feira, 25 de novembro de 2014

"O MELRO NA GAIOLA"

Detido,  não terá feito coisa boa!
foi um ex-primeiro-ministro deste país
ao sair do avião, no aeroporto de Lisboa
quando regressava de Paris...

Das asas de um melro,
terão caído penas no chão
no caminho para o inferno
foi aberto um buracão.

Com ou sem batota,
não apresentou para se defender
 argumentos justificativos por agora
venham cidadãos, honestos, ver
 um melro dentro da gaiola.

As mágoas fazem doer,
não se deve negar uma esmola
nas dos outros as mãos foi meter 
para mais encher a sua sacola.

Aguenta que é serviço,
foi picado por um passarão
no "Caso Marquês" foi detido
por suspeitas de corrupção.

Na compra dos submarinos,
por corrupção não foram detidos
 no governo estão bem protegidos
esses são os melros mais finos!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 23 de novembro de 2014

"O MELRO"

Há quem diga que sim,
há quem diga que não
as flores no jardim
na algibeira o pião
há quem não tenha
 sobre a peia opinião
duma vaca prenha
 bezerro vai nascer
no poço a azenha
tira água para beber
também lá na horta
rega o tomateiro
ao dar a cambalhota
ficou dorido o cagueiro
foi apanhar a maçaroca
assustou o espantalho
numa estrada muita torta
encontrou um dente d'alho
com as cartas fez batota
transportado no cangalho
ficou preso lá na teia
vai haver estardalhaço
muita água causam cheias
agora é que irão ser elas
como irá descalçar as meias
 a falar pelos cotovelos
afugentaram as arvéolas
armaram as esparrelas
para apanhar os melros
da rosa caíram pétalas
fecharam portas e janelas
deixaram acesos os candeeiros
para iluminar os tagarelas.
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

"VIAGEM SÓ DE IDA"

O homem, nas estrelas!
não terá com quem lutar
 não mais haverão asneiras
quando o mundo acabar?
Porquanto, não quer amar
tem mais jeito para a guerra
pensa  até ser o dono do mar
desprezando a vida tão bela.
Na terra ficam lágrimas caídas,
quando partir para a eternidade
nas páginas dos fastos escritas
deixa palavras de saudade.
Dos olhos de quem chora
uma triste despedida
quem parte, mais não volta
pelo que sofreu e fez sofrer
regressar ao ponto de partida
 jamais poderá acontecer
numa viagem só de ida!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 16 de novembro de 2014

"DOA, A QUEM DEVE DOER"

Terá, ilustre viajante português!
inventado os planos de nova batota
a vender vistos dourados, talvez
 alguém vá passar férias na chocha?

Alguns detentores de altos cargos,
querem mais do que lhe pertence, ter
pelos factos já estão a ser interrogados
faça-se justiça doa a quem deve doer!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

"A POLÍTICA E A LEGIONELLA"

Faz mais falta chover no mar, do que o ministro do ambiente em Portugal, o qual  nada faz em benefício daqueles cujo o dinheiro dos seus impostos são para lhe pagarem um volumoso ordenado ao fim de cada mês, catorze vezes por ano. Não seria mais proveitoso a prevenção e a manutenção do equipamento, do que e depois do mal feito aplicar aos infractores coimas despropositadas? Porque se antes tivessem sido tomadas as medidas necessárias para evitar o que aconteceu, não teria acontecido aqui no Concelho de Vila Franca de Xira, a legionella, a qual já causou mais de meia dúzia de vítimas mortais. Tudo isso poderia ter sido evitado, se os responsáveis menos pensassem nos lucros e se preocupassem mais no bem estar das populações. Estamos entregues e expostos a uma classe de políticos que só pensam em eleições e acusarem-se uns aos outros, em vez de fazerem o trabalho de casa, como disse um dos mais responsáveis políticos, por muito do que de mal nos tem acontecido!

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

"DE SANGUE E LÁGRIMAS"

 Um país, antes, colorido,
coberto com nuvem cinzenta
contra quem nos atormenta
de revolta atroante grito!

 Mais uma condecoração, 
condecorado desertor vil
mui nobre valente Nação
Pátria Mãe, tão, Gentil!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 1 de novembro de 2014

"ABACATEIRO"

 Aqui na quinta, há um abacateiro!
entre as folhas tem verdes abacates
o que faz com o baralho de cartas o batoteiro
para no jogo de lerpa ter um ou mais ases,
é o que mais tem feito e faz o governo
uns após outros muitos disparates.
Com os cortes, faz ameaças
se primeiro-ministro continuar
para mais aumentar as desgraças
se o povo adormecido não acordar.
Empurra-nos para o dilúvio
em fez de lá nos tirar
atrás de um vem outro intruso
para, ainda, mais nos afundar!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

"COM O RABO DE FORA"

Sem prévio aviso,
ferra a qualquer hora
nos pobres sem apego
com o rabo de fora,
não é gato, nem labrego
 na areia escondido!

 Perigoso é o escorpião!
 futuro, ainda, espaço vazio
deixou o passado na escuridão
 o presente continua sombrio.

 Distribui pela pobreza,
veneno com abundância
trata os ricos com gentileza
os pobres com arrogância!
 (Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

"COM POUCO ME CONTENTO"

(Imagem Google)
 Deve com sabedoria!
respeitar a liberdade
 não ferir a democracia,
 cada um, sem vaidade.

 Ó! gente da minha terra,
a este povo a que pertenço
queremos a paz e não a guerra
  não nos tirem o sustento.

Com pouco me contento,
para onde a gente as não ver
promessas voam no vento
sem nada impossível viver.

 Poderá a notícia ser verdadeira,
mesmo assim eu não acredito
dizem que debaixo da alfarrobeira
 há um pote cheio de ouro escondido!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 25 de outubro de 2014

"Ó! ZÉ ACORDA"

Ó! Zé acorda, são 190 milhões!
oh! pá está pendurada atrás da porta
não é isso, são 38 milhões para ladrões
vai já à Santa Casa de Misericórdia
em segurança depositar o talão
antes que o falso rei das fronteiras 
te roube até ao último tostão
para encher as suas dele algibeiras
olha que ele é um verdadeiro cínico
muito cuidado com as suas maneiras
porque ele é sim capaz de tocar o sino
para no convento acordar todas as freiras
Já perceberam, de quem, a quem me refiro
para ele todas as fronteiras têm um tecto
 mas eu direi que não em todas as panelas
 servem os testos desse fabrico esperto.
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

"J. P. FUMADOR"

J. P. fumador, pensou com o dinheiro que gastava em tabaco, se deixasse de fumar, ao fim de algum tempo podia comprar uma junta de bois. Fez as contas e decidiu deixar de fumar. Quando reunida tinha a quantia necessária,  resolveu realizar o  sonho de sua vida. Armazenou palha, feno e rações no palheiro para que não faltasse durante o inverno comida aos animais. Tinha-os na malhada junto do dito palheiro.  Aconteceu que um dia o fogo no já citado palheiro consumiu tudo o que com tanto sacrifício tinha sido antes adquirido. Tendo J. P. fumador dito, afinal de cantas,  de uma ou de outra maneira era tudo para queimar.

Pensou J. P. fumador,
em deixar de fumar
fez as contas ao valor
do que poderia poupar.

Com o dinheiro que poupou,
uma junta de bois tinha comprado
que mais tarte o fogo queimou
tinha mesmo que ser queimado.

De nada serviu o sacrifício,
que fez para deixar de fumar
tanto lutou contra o vicio
afinal de contas, era para queimar!
(Eduardo Maria Nunes!

terça-feira, 21 de outubro de 2014

"PIFARO"

De todos, não só dum!
 a beleza, inconstante
o perfume embriagante
embriaga qualquer um.

Ao subir no escadote,
 tropeçou numa lata rota
deu um pontapé no barrote
partiu a cabo da vassoura.

Convidou um velhote,
sem perceber da batota
para lhe aparar o bigode
 em troca de uma farofa.

 Num lugar escolhido,
apropriado para se lanchar
a seguir ouviram um pífaro
apaixonante melodia tocar!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 18 de outubro de 2014

"BOSTA"

(Imagem Google)
Atenção, perigo iminente,
porque a bosta está a dilatar
para mais não poluir o ambiente
 na bosta mais bosta não botar.

Não se deve brincar com coisas sérias,
porque há coisas menos boas no mundo
não diminuem, aumentam as misérias
 porque os troca-castanholas querem tudo.

Será que ele tem razão?
não é um qualquer rapazola
tem o poder na varinha de condão
a vontade estampada na camisola.

 Nobre Nação Portuguesa,
tem orgulho do seu povo
vencer irá de certeza
 nada nos trará de novo!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

"A CONTAR COM O OVO NO CU DA GALINHA"

 Passados, que são, mais de três anos!
lenga - lengas, do custe o que custar
deixaram de nos infernizar os tímpanos
 mais mansinhos nas eleições a pensar,
 preparando, estarão, outros enganos
 no melhor engodo para o voto caçar.

Só agora descobriram a reforma do IRS,
não se cansam de tanto a apregoar a toda a hora
bem não nos querem, só mal nos querem PSD/CDS
o que eu mais na vida desejo é vê-los porta fora.

Não importa os que, a seguir, virão,
não irão fazer pior do que os actuais
porque os ditos salvadores da Nação
em vez de salvar, afundaram mais!

 Sem dialogo, são piores a berrar,
do que rebanho de animais esfaimados
 o povo, eles, não querem de maneira alguma salvar
  eles só querem é manter os descontentes calados!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

"`À SOMBRA DA BANANEIRA"

 Pensei um bate-estradas escrever!
 mas não encontrei nenhuma palavra
   motivo pelo qual fiquei sem saber
 qual seria a resposta dada.

 Quem souber, que a diga então;
que é para eu a ficar sabendo
toda molhada rebolando no chão
 até parece que, ainda, a estou vendo.

Nos sonhos do pensamento,
não o bate-estradas, que pensei escrever
eram as folhas de papel voando no vento
 embrulhadas nas nuvens deixei de as ver.

Com o que tenho me contento,
porque outro remédio não tenho, eu
boas e menos boas recordações tenho
do que no passado me aconteceu!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

"MAU EXEMPLO"

Será que quem assim procede, como agente de autoridade, a quem compete cumprir e fazer cumprir a lei. Terá moral para autuar quem cometa transgressão idêntica?
Você cidadão responsável não siga o exemplo da imagem. Se fosse o meu veículo ou o seu. O condutor da viatura identificada "POLÍCIA" se o visse naquela posição de certeza que procederia de acordo com o artigo 49 do código da estrada.
1 - É proibido parar ou estacionar; d) A menos de 5 m antes e nas passagens assinaladas para a travessia de peões ou de velocípedes;

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

"DEUS ACENDE-ME A LUZ"

Um velhote com 90 anos fez o seu check-up anual e o médico disse-lhe: - Amigo, para a sua idade, está numa forma que eu nunca vi!
O velhote respondeu:
- Sim. Porque sei levar uma vida cuidada, simples e espiritual!
- Que quer dizer com isso?
- Se não levasse uma vida cuidada e simples, Deus não me acendia a luz da casa de banho cada vez que me levanto a meio da noite!
O médico estranhou a resposta...
-Quer dizer que cada vez que se levanta a meio da noite para ir à casa de banho, é Deus quem lhe acende a luz!!?
- Sim! Cada vez que vou à casa de banho durante a noite, Deus acende-me a luz!
O médico calou-se mas, quando foi a vez da esposa do velhote ir à consulta, sentiu a necessidade de a informar sobre o que o marido lhe tinha dito.
- Eu quero que saiba que, o seu marido está em óptima forma física mas estou preocupado com o estado mental dele! Ele disse-me que, todas as noites, quando vai à casa de banho, Deus acende-lhe a luz!!!
- Ele disse-lhe o quê???
- Ele disse-me que, todas as noites, quando se levanta para ir à casa de banho, Deus acende-lhe a luz...
- Ahhh!!! - exclamou a velhota. Então é ele que tem andado a mijar dentro do frigorífico...! 

domingo, 5 de outubro de 2014

"TOPADA"

Caiu do escadote abaixo!
no estábulo, um abegão
 à noite relinchava o macho
 de manhã a cantava o pavão.

"Noite escura, oh! diacho,
na cama às apalpadelas
disse, porra, arre macho
levei um coice nas canelas".

A caminhar, da sorte distante.
numa pedra deu dolorosa topada
do pé, saltou a unha do dedo grande
 azares coisas ocas, não têm nada.

 Diziam, dentro dum alçapão,
havia lá muito ouro escondido
 no escuro deu um  trambolhão
 sem nada na mão, pobrezito!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

"NA ESCOLA"

O Joãozinho, para a professora, eu tenho um peixinho!
A professora tens um peixinho aonde. . .
o Joãozinho baixou as calças e mostrou a pila à professora,
Joãozinho vai já ao gabinete da senhora directora. . .
 A directora, o que se passa Joãozinho!
eu tenho um peixinho e baixou as calças.
Disse; a directora, isso não se chama peixinho. . .
Tens que ver no dicionário,
ou então, quando chegares a casa, pergunta ao teu pai!
Assim o Joãozinho fez, quando chegou a casa disse. . .
Pai eu tenho um peixinho, baixou as calças e mostrou a pila!
Disse o pai e eu tenho um tubarão, 
apareceu o avô e disse, eu também tenho um tubarão, 
Disse a avó e eu tenho uma baleia!!!

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

"BUGALHO"

Subiu numa azinheira!
antes ouvi alguém contar
uma história verdadeira
para agora aqui a divulgar
à bolota chamou bugalho
lá ficou para a vida inteira
 feliz, agarrada ao galho.

Uma desgraça aconteceu,
dela, aqui, não irei falar
 muitas, dessa, penso eu
outras desgraças irá causar.

Foi um pelo outro atraiçoado,
esse outro tudo quer açambarcar
esperaremos, para ver o resultado
se antes, ele não nos aniquilar.

Queixoso amor ausente,
das dores, tantas, choroso
coração que tanto as sente
 mês de Setembro chuvoso!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 28 de setembro de 2014

"NOTÍCIA DO PAÍS"

Notícias, 28 de Setembro de 2014,

POLÍTICA, acontecimento histórico.

foram, hoje, pela primeira vez, em Portugal, realizadas eleições primárias para escolher o secretário - geral do Partido Socialista  e candidato a primeiro-ministro de Portugal. O Seguro, não seguro, depois de ter escorregado na bosta, anunciou a sua demissão, do cargo de secretário - geral do Partido Socialista.

«CARAGOLOGIA»

O senhor carago, disse ter sido vigarizado, depois do senhor presidente Cavaco e do governador do banco de Portugal, terem dito que o BES, era um banco sólido, porque estava assente numa confortável almofada. Por causa e segundo tais afirmações, o senhor Carago, foi a correr ao referido banco comprar acções antes que elas se esgotassem. Pois senhor Carago, será que nunca ouviu dizer, quem tudo quer, tudo perde!

DESPORTO:

FUTEBOL:  Na Amoreira,  o Benfica,  venceu o Estoril por 3-2, continua a liderar o campeonato.

METEOROLOGIA

Póvoa de Santa Iria, céu parcialmente nublado, temperatura às 22H00 18  ºC .

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

"GRANDALHÃO"

 Sejam ou não da maioria!
 os deputados no parlamento
 as greves, são o prato do dia
  no país do descontentamento.

Não são precisos berços  d'oiro,
chega a manjedoura cheia de razão
para a boa alimentação do povo
batatas, carne suficiente e pão.

 Para que serve um carrão,
se um carrinho é suficiente
 além de causar menos poluição
  também incomoda menos gente.

 O povo deixará de ter razão,
quando sem ela faz beicinho
quem tiver o pé grandalhão
não lhe serve o sapatinho!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 23 de setembro de 2014

"NAS ALTAS ONDAS PERDIDO"

(Imagem Google)
De Sul para Norte!
 à deriva um beijo sem voz
sem rumo e sem sorte
e sem porto de abrigo.
Antes da Figueira da Foz
procura com esperança e fé
que esteve, ex-fuzileiro
 destacado no Cobué,
em missão de serviço.
  Das velas de um veleiro
navega esse beijo caído
nas altas ondas perdido
sem rumo no mar da Nazaré!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 21 de setembro de 2014

"NO CHÃO"

Foi tudo na brincadeira!
tropeçou numa bolota
caiu do cimo da azinheira
 no chão deu a cambalhota.

Porque era, aventureira,
a garota, se lembrou de subir
se levantou ilesa e satisfeita
de contente me fez sorrir.

Que ela tinha vestidas, 
coisa que nos deu prazer
debaixo delas escondidas
só as cuecas deixou ver.

Eu delas, não tenho imagens,
para, livremente, aqui publicar
devo sim a privacidade respeitar
por serem privadas paisagens!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 20 de setembro de 2014

"O BARRETE E A ERVILHACA"

(Imagens Google)
Hoje, o que escrever, não sabia!
disse: aka,  me lembrei da ervilhaca
é isso mesmo, no campo, verde crescia
alimento, que alimenta o boi e a vaca.
 Todas bem com ela enchiam o bucho
por isso é que tinham muito leite,
 faziam parte de uma manada de luxo
 cobridas pelo robusto boi ramalhete.
 Que ele tinha dizer-se ouvia,
enfiado os chifres no colete
dum campino que não sabia
 onde tinha deixado o barrete.
Em Alcochete,  o terá deixado,
ou então; foi, em Vila Franca de Xira
estava nas festas do colete encarnado
apaixonado por uma moça bonita!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

"ALCACHOFRA"

(Imagem Google)
Por cima das rochas!
para os pés não magoar
 meti os dentro das galochas
e continuei a caminhar.

À solta muito tem arruinado!
com medo de ser frito na caçarola
fugiu um roedor de rabo alçado
quando pisei numa alcachofra.

Até parece uma anedota,
caída de uma azinheira
no chão estava uma bolota
foi a minha merendeira.

Com promessas traiçoeiras,
em todos os lados, eles, estão
metem as mãos nas nossas algibeiras
enquanto lá houver um tostão!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

"PASSARINHO NA GAIOLA"

(Imagem Google)
Prisioneiro na gaiola!
 tinha o melro passarinho
e uma nódoa na camisola
do gordurento toucinho.

No cu tinha as calças rotas,
  as tinha vestidas às avessas
de tanto sorrirem as garotas
deixaram cair as cuecas?

Não as tinham vestidas...
 tinham ido do estendal as apanhar
eram lindas com pintinhas coloridas
até dava gosto para elas olhar!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 13 de setembro de 2014

"BOM FIM DE SEMANA"

São sinceros, não fingidos!
meus, com amizade reconheço
para todas amigas e amigos
bom fim de semana desejo.

Amor destrambelhado!
quando atolado de prazer
um beijo bem encharcado 
de manhã...alvorecer.

 O veio bem engrenado,
 para satisfazer a vontade
dá mais gozo lubrificado
no orifício da felicidade.
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

"O AMIANTO"

O que vejo não imagino!
vejo todos os dias o Rio Tejo
imaginar o que não vejo
será esse o meu destino.

Oiço, mas já não ligo,
falarem muito na televisão
porque palavra de político
mais aumenta a confusão.

Ao mesmo tempo dois aselhas,
esfaimados, o que querem são milhões
se eu pudesse puxava-lhe as orelhas
antes de sacarem nossos tostões!

pelo corredor aos encontrões,
tirem antes o amianto dos telhados
ao mesmo osso dois cachorros comilões
por isso é que estão tão assanhados?
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 9 de setembro de 2014

"DEVANEANDO POR AI"

Me contento...sem sair daqui!
devaneando por ai...no pensamento.

Sem saber fiquei,
como resolver o problema
numa sena que presenciei
nela encontrei o tema.

Por isso deve ser substituído,
só atrapalha não desembaraça
tanto tempo e dinheiro perdido
no futebol, selecção desorientada?

De repente ouvi coaxar uma rã,
porque perdi do bolso o único pataco
que, inda, tinha para comprar uma marrã
pois não comprei nem a marrã nem o cavalo
por causa disso não fui à feira da Golegã
porque atirei uma pedra no charco!

 Quando fui à Figueira da Foz,
passei por baixo de uma nogueira
em cima da tola caiu-me uma noz
pensei, mas não disse asneira.

Estava um parasita escondido,
adormecido no couro cabeludo
um jovem forcado ficou ferido
nos cornos de um toiro testudo!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 2 de setembro de 2014

"CURA SEM FIM À VISTA"

Ela pensa ter razão?
disse a Teixeira ministra
a sua ordem sem solução
continua doente a justiça!

Um indivíduo, na terra, abriu um buraco. Dias depois pensou que deveria tapar o dito buraco, mas não sabia como. Resolveu perguntar ao primeiro-ministro de Portugal como o poderia fazer. Tendo o mesmo respondido, não tem nada que saber. Abres outro buraco e com a terra desse buraco, tapas o buraco anterior! É o que ele e a sua quadrilha têm feito durante três anos de péssima governação! Já estão a apelar ao voto, para que se ganharem as próximas eleições darem machadada final nos ordenados e nas pensões da função pública?  E não só...

domingo, 31 de agosto de 2014

"NÃO TENHO FIGUEIRAS, MAS, TENHO FIGOS"

video
É bom viver em liberdade!
não tenho quinta, nem pomar
mas moro na Quinta da Piedade
tenho figos sem as figueiras trepar!

Tenho amigos é verdade,
para isso tenho contribuído
com o devido respeito e lealdade
a qualquer hora sabe bem um figo!

Seja ele do norte ou do Alvor!
da Figueira da Foz, ou da Póvoa de Varzim
desde que na vida haja saúde, paz e amor
há alegria e felicidade sem fim...
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 24 de agosto de 2014

"O MAR E A SUA BELEZA"

Só é pena a vida ser tão curta!
para o outro mundo ela nos mandar
para isso não há remédio nem cura
 bem a vida temos que a aproveitar.

Para o nosso, de todos bem estar,
teremos que preservar a natureza
todo aquele que despreza a beleza
veio ao mundo para contrariar...

Não queiram portugueses desperdiçar...
o sustento nos dão, em seu lugar cada qual
sempre teremos que trabalhar na terra e no mar
viver com o que resta de bom em Portugal!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

"ENQUANTO HOUVER ÁGUA NO MAR"

(IMAGEM GOOGLE)
Não tenho fome, não tenho sede!
já não sei mais em que pensar
se maldade no mundo não houvesse
 enquanto houver água no mar
 a vegetação aqui na terra cresce...
Se alguma vez o mundo acabar
a terra fica às escuras, o sol desaparece
 não estarei cá para ver o fenómeno
as nuvens deixarão de voar...
 de observar os astros, deixará o astrólogo
a lua e as estrelas no céu deixarão de brilhar
não filosofará mais o filosofo!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 10 de agosto de 2014

"SABADABADU"


Um programa de humor e boa música Um programa que não tem um humor de revista, mas um humor escrito por um homem de revista, César de Oliveira. Um humor próximo dos problemas atuais dos portugueses, que vem sublinhar o nosso dia-a-dia.
Ai Agostinho
Ai Agostinha
Que rico vinho
Vai uma pinguinha?
Este país perdeu o tino
A armar ao fino, a armar ao fino
Este país é um colosso
Está tudo grosso, está tudo grosso
Isto é que vai uma crise, isto é que vai uma crise!
Estas quadras ficaram, com certeza, no ouvido de todos. Trata-se de um estribilho do dueto interpretado por Ivone Silva/Camilo de Oliveira nas figuras dos "Agostinhos", dois bêbados que fecham normalmente cada programa.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

"O SONHO DA ILUSÃO"

(IMAGEM GOOGLE)
As estrelas a brilhar!
a lua para ela sorriu
nas nuvens a fez voar
o prazer que sentiu.

A sentida sensação,
aquecera-lhe o corpo
as lavas do amor louco
expelidas do vulcão.

 Adormeceu a sonhar,
acometida de louca paixão
acordou nas nuvens a voar
nas asas da imaginação.

 Pronta para pintar,
o retrato da sensação
estava a tinta a preparar
deixou cair o pincel da mão
sem ter asas quis voar
foi sonho de ilusão!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 5 de agosto de 2014

"O LACRAU TEM VENENO"

Nem só de pão não vive o homem!
porque alguns abusam da liberdade
para governarem mais não optem
 este país contra a própria vontade.

Banco mau, Banco Novo!
porque tropeçou no calhau
perigosa, picada do lacrau
todo o cuidado é pouco.

Mais encargos para o povo,
da cabeça o colonizador
causa muita comichão o piolho
falsas palavras do governador.

O veneno está lá dentro,
não fala verdade, é batoteira
do que a ministra no parlamento
tem mais valor uma azinheira.

Dá bolotas e não mente.
contra a vontade do explorador
no campo tem mais valor
dá sombra a boa gente!

Quem nelas acredita,
esperem para ver o fim
as palavras da ministra
duvidosas, elas são sim!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

"ANEDOTA DA SEMANA"

O primeiro-ministro foi ao banco fazer um levantamento, só que esqueceu-se de levar o BI. O empregado do banco afirma não ser possível fazer o levantamento sem o BI. Diz o primeiro-ministro:- Mas eu sou o Pedro Passos Coelho! O senhor não me conhece? - Sabe, há uns anos, também aconteceu o mesmo à sra. dona Amália Rodrigues; veio aqui para fazer um levantamento e não trazia identificação, mas ela cantou-nos um fado e nós, pela voz, percebemos que era a sra a dona Amália. O ano passado, o Cristiano Ronaldo teve o mesmo problema, trouxemos uma bola, o rapaz deu uns toques e percebemos que era o Ronaldo. Responde o primeiro-ministro:- Mas eu não sei fazer nada! - Então está provado que é mesmo o senhor primeiro-ministro! QUANTO É QUE VAI LEVANTAR?

sábado, 2 de agosto de 2014

"NUVEM PASSAGEIRA"

Se a vida fosse o fado!
a guitarra companheira
duma nuvem passageira
caia a chuva no telhado.

No quarto a cama vazia,
soprava o vento na janela
por ande andava não sabia
triste esperava por ela.

Toda a noite não chegou,
no dia seguinte no horizonte
de manhã o sol despontou
nesse dia menos brilhante.

Lá no céu azul, parecia,
que algo o apoquentava
atrás das nuvens se escondia
por isso menos brilhava.

A fadista cantava,
o fado da Mouraria
 a viola de dor gemia
 a guitarra chorava.

 Chegou a alegria,
tocou a guitarra afinada
a tristeza já lá não andava
pelas ruas da Mouraria!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 31 de julho de 2014

"SANGUE NA PICADA"

Por caminhos obscuros!
sujeitos a uma emboscada
 condenados sem culpa formada
 neste mundo dos inseguros...

 Lá longe, nas picadas de outrora,
 inseguros percorriam, estafados
 pelos famosos políticos de agora
 ex-combatentes são desprezados!

 foram em defesa da pátria colocados,
 na Guiné, Moçambique e, em Angola
  lá ficaram muitos jovens sepultados.

Os políticos mal informados,
governantes «do país da vontade»
porque estão eles tão esfaimados
heróicos herdeiros da liberdade!

Aqueles que falam sem postura,
e sem conhecimento da democracia
na politica eles herdam uma fortuna
já no tempo da ditadura acontecia!

Nas picadas morreram,
no cemitério sepultados
nenhum mal eles fizeram
porque sorte não tiveram
muitos jovens soldados!

 Mortos na guerra em defesa da pátria,
dolorosa despedida para a eternidade
por quem os acompanhou à última morada
 serão sempre recordados com saudade!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 30 de julho de 2014

"ATEMORIZADO"

Pequenino nasci!
um dia hei-de morrer
o melhor que aprendi
 saber no mundo viver!

 Pior não acontecer,
por aqui aos encontrões
vim ao mundo aprender
não para dar lições!

Não sei mas imagino,
penso não estar enganado
pelo caminho do destino
ninguém ficará atolado!

Cheguei de madrugada,
do local de onde saí, voltei
triste, pelo trilho da picada
atemorizado, por lá andei!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 28 de julho de 2014

COISAS DO DESTINO"

Saboreando doces beijos!
fazendo amor em liberdade
satisfazendo todos os desejos
nunca dizer não à vontade.

Tantas coisas boas há na vida,
escondidas muitas boas outras há
entre muitas, uma mais apetecida
nem sempre com desejos estará!

Lugar acolhedor no paraíso!
não se deve abandonar coisa bela
visitá-la, diariamente, é preciso
para satisfazer os desejos dela.

Não terá morada certa, o destino?
a quem deseja, não irá satisfazer a vontade
vai de certeza acontecer uma tempestade
se por motivos amorosos perder o tino!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 25 de julho de 2014

"SÓ POR ENGANO"

Um banqueiro, inocente?
porque nada provará a justiça
condenado não será certamente
em sua defesa terá a mentira.

Prestam péssimos serviços,
 louvados como sejam boa gente
nada têm a ver com favoritismos
cada um à sua maneira mente.

Três milhões de euros de caução,
assim se compra a liberdade
não tem dinheiro vai para a prisão
só mesmo quem fala verdade.

Salvo seja alguma excepção,
inocente será considerado
quem muito rouba não é ladrão
 por isso não deve ser condenado.

 Debaixo da terra estão as raízes,
das árvores alimentam o vicio
uma mão cheia de aldrabices
 muitas outras estarão em sigilo?
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 18 de julho de 2014

"NA MESMA SINTONIA"

Um dia, ia eu por uma vereda a caminhar, vi um candimba aos saltinhos atravessando a dita vereda. Teria, talvez, o furão corrido com ele para fora do covil, tornando-se assim o mais perigoso animal roedor da actualidade. Foi num dia de menos sorte, depois aconteceu o pior, hoje é o principal, como ele não haverá outro em Portugal.
Ninguém arma a esparrela para caçar o maldito, mais reles do que um porquito, arreganha os dentes para qualquer outro animal, será preciso chamar o rei leão, para que ele com medo volte para o covil e lá ficar para sempre.
Agora um zangão, voa por aí a zumbir as asas, quer ocupar o seu lugar, juntamente, com outros insectos e aves de rapina, todos de dia e de noite são bastante ruidosos. Quem ventos semeia o mais certo é colher tempestades. Os  ovos das galinhas goraram têm nascido menos pintos, instalou-se o ócio no galinheiro, o galo adormecido, ultimamente, já quase não gala as galinhas, parece que no poleiro diferente tem cantado.
O pardal no telhado foi fazer o ninho, entalou as asas nas portas, muito tem piado coitadinho. Para se proteger dos temporais, a andorinha caganitas, fez o ninho no beiral, espertalhona, não se deixa apanhar. Só o gavião caganotas, um dia a quis caçar, mas ela não se deixou, sacudiu as asas e lá o deixou sozinho a chilrear. Agora chilreiam  os dois, na mesma sintonia, pousados no galho ao lado um do outro..

segunda-feira, 14 de julho de 2014

"A POBREZA IGNORADA"

(IMAGEM GOOGLE)
Quando de alguém batia à porta!
pão para comer ninguém lhe dava
com fome um menino pedia esmola
descalço, muito triste ele chorava!

Com a unha do dedo grande do pé,
perdeu sangue, com dores ele chorou
mas não perdeu a esperança nem a fé
quando numa pedra aguçada tropeçou.

  Com manteiga comeu uma fatia de pão,
 naquele caminho encontrou o seu destino
alguém no mundo com bondoso coração
de imediato acolitou o pobre menino! 
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 11 de julho de 2014

"SEM ALPERCATAS"

Na malhada ladra o cão!
guarda bois e vacas o boieiro
no empregado malha o patrão
no povo malha o governo...

Olho vivo e pé ligeiro!
os cabritos e as cabras
também ralha o manageiro
pés feridos sem alpercatas.

Zé Povinho cala a boca...
pois, ainda tens muita sorte
come se quiseres a açorda
  ou preferes morrer de fome?

Se quiseres colher semeia!
ou então abandona a tua pátria
têm de continuar de barriga cheia
os prevaricadores da desgraça...
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 4 de julho de 2014

"DEITADA NA AREIA"

(IMAGEM GOOGLE)
O tão famoso carrascão!
no Cartaxo há boa pinga
do Concelho povoação
freguesia Vale da Pinta.

Quem pinta é o pintor,
as abelhas, na apicultura
vida feliz, muito o amor
numa doce aventura!

Quando na noite escura!
no poleiro o galo canta
 a pessoa que madruga
muito cedo se levanta.

Numa cama sem manta!
toda a noite com frio rabeia
a sua beleza muito encanta
quase nua deitada na areia!

Na areia, estava, deitada,
pensando eu ser uma sereia
a moça não gostou mesmo nada
tropecei nas lindas pernas dela
zangada, me deu uma tareia!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 2 de julho de 2014

"GRITOS"

Dá fastio, a ouvi-los falar!
aos gritos no parlamento
quem eles pensam enganar
 voam promessas no vento.

Aquele que é feito de casca de boi!
a falar da grandeza do actual governo
eleito deputado de ricos para ricos foi
 ouve lá, o povo merece respeito.

Tanto falam, não se cansam!
na baixeza do desemprego
a eles próprios se enganam
 com eles do futuro tenho medo!

Dizem que a Tróika foi embora!
nos deixou cá o grande papão
a vigiar-nos anda a toda a hora
companheira ela da exploração.
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 30 de junho de 2014

"BOAS FÉRIAS"

Está de férias toda a gente!
para aos blogues dar descanso
na praia deitados na areia quente
para as ondas do mar olhando.

 De noite se fecha a janela,
para mais ninguém entrar
entra a brisa pela janela
para o quarto dela arejar.

Quero toda a gente de volta!
com sorrisos de muita alegria
que a tristeza se vá embora
antes do romper do dia!
(Eduardo Maria Nunes?

sexta-feira, 27 de junho de 2014

"GIN TÓNICO"

 As coisas boas da vida dão prazer!
no café-bar do Peter, era especial
gin tónico que bem o sabia beber
a Cidade da Horta, na Ilha do Faial
 daquele ponto alto a estava a ver.
No caminho para a caldeira,
na sopé tinhas lindas flores
toda ela tem muita beleza
a Ilha do Faial, nos Açores.
Transporte de quatro rodas,
carrinha ford trânsit, brilha
nela a cor azul, várias voltas
não sei quantas dei àquela ilha.
Nos Flamengos, durante a guerra,
acantonados, idos doutras bandas
de ordens muitos militares à espera
o fotografo cortou-me as chancas
que me protegiam os pés da terra.
Tem no terreno enorme inclinação,
das mais belas paisagens da natureza
entre a cidade da Horta e a caldeira
 na Ilha do Faial, Flamengos povoação!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 25 de junho de 2014

"AINDA ACREDITO"

Se eu fosse o Rei Leão!
do meu país era o presidente
para comer todos tinham pão
contentava toda a gente!

Penso, escrevo e digo!
não é proibido sonhar
a farinha é feita do trigo
amassada dentro do alguidar.

Depois da massa levedar,
se coloca em pedaços no tabuleiro
 em cima da pá, no forno entrar
sai cozido um bom casqueiro.

Para acabar com a corrupção,
estou pensando nisso
meter os corruptos na prisão
força selecção ainda acredito!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 24 de junho de 2014

"MARTELINHO"

São João molhado!
bate na cabeça o martelinho
com pão e chouriço assado
sardinhas, broa e vinho.

São Pedro, o culpado?
paga a divida Zé Povinho
deste Portugal endividado
na panela foi cozinhado
depenado, o passarinho.

Bota abaixo saboreando!
para esquecer um copinho
não se sabe até quando
 irá durar esse bailinho.

No chão batendo o pé!
rebentam balões no ar
não importa de onde é
toda a noite a dançar
no salão tanto banzé!

Santo António de Lisboa,
viva o São João do Porto
aqui na terra a vida é boa
por isso é que dura pouco!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 22 de junho de 2014

IV [SONETO (DES)PEJADO]

Num cappote embrulhado, ao pé de Armia,
Que tinha perto a mãe o cha fazendo,
Na linda mão lhe foi (oh céus) mettendo
O meu mangalho, que de amor fervia:

Entre o susto, entre o pejo a moça ardia;
E eu solapado os beijos remordendo,
Pela fisga da saia a mão crescendo
A chamada sacana lhe fazia:

Entra a vir-se a menina... Ah! que vergonha!
"Que tens?" — lhe diz a mãe sobresaltada:
Não pode ella encobrir na mão ensaboada:

Suffocada ficou, a mãe corada:
Finda a partida, e mais do que medonha
A noite começou da bofetada.
(Bocage)

sexta-feira, 20 de junho de 2014

"PASSADO, PRESENTE E FUTURO"

(IMAGEM GOOGLE)
Para que a vida não seja sempre vivida no escuro!
olhemos para cima, vejamos como eram no passado
no presente serão a causa de um desastroso futuro
 do símbolo, o inventor quantas mortes terá causado?
 O estrugido, na panela há muito tempo cheira a esturro
  quem não gosta, não come, põe nas bordas do prato.
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 18 de junho de 2014

"POEMA. . .ENCOSTA A CABECINHA"

(IMAGEM GOOGLE)
Porque o fez foi embora!
para a rua antes de terminar o jogo
encosta a cabecinha no ombro e chora
não assim na cabeça do outro.

Já era de esperar, o resultado final,
de qualquer maneira, eles comem tudo
tinham mesmo que vencer Portugal
os presumíveis donos do mundo

No rosto daquela mulher,
de tão contente a sorrir
de pé estava lá a tudo quer
  a dona do mundo a aplaudir.

Quando o monstro sorria,
o árbitro sentiu na espinha
arrepios, fez o que não devia
o jogador também razão tinha.

 Contra a Alemanha nunca venceria,
talvez pelo facto de ser cidadão português
mesmo que o não tivesse feito não ganharia
 no entanto, não deveria ter feito o que fez.
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 15 de junho de 2014

"NO ESTENDAL"

  Seca a roupa no estendal!
uma casa um craveiro na janela
  pousado no telhado um pardal
numa cidade, estreita ruela!

Na roseira perfumada rosa,
vermelha ela desabrochou
transformei a rima em prosa
um passarinho nela pousou.

Nos lábios, um doce beijo!
dentro do peito o coração
foi ao encontro do desejo
feliz, voando na imaginação.

Dos olhos uma lágrima caiu no chão,
de felicidade e alegria, não de tristeza
saúde, paz, carinho e amor no coração
na copa viva a selecção portuguesa!
(Eduardo Maria Nunes)

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010