terça-feira, 1 de outubro de 2013

"PENSAR NUNCA FEZ MAL A NINGUÉM"

 Impotentes citações!
 Não alimentam misérias
Para resolver situações
Ao dirigentes faltam ideias!
Falam como se nada tivesse acontecido
Andam por aí a fazer propaganda enganosa
Promessas que provocam bastante ruído
Produzido por fonte de energia duvidosa.
Meteram tudo no mesmo saco
Não separaram o joio do trigo
Porque tudo fizeram ao acaso
Deixaram o país empobrecido!

7 comentários:

  1. Amigo fiquei revoltada com a abstenção de ontem. A julgar por ela quase metade dos portugueses estão contentes com a situação. Bem sei que eram apenas autarquicas. Mas acredito que se fossem legislativas era o mesmo. O povo anda a clamar a toda a hora contra quem nos desgoverna, mas quando chega a hora de poder mostrar um cartão vermelho ao governo, se está bom tempo vão para a praia. Se está de chuva ficam em casa.
    Eu penso que quem não cumpre o seu dever de voto, não tem nem razão nem moral para protestar.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. É verdade Elvira.
    Estou de acordo contigo, mas também muita desta abstenção é fruto de pessoas que tem dificuldade de deslocação. Não serão todos mas são uma boa parte.
    Outros já não acreditam em ninguém porque depois de votarem são traídos pelos partidos .
    Uns não respeitam as promessas e outros colam-se a eles para a partilha do taxo, do bolo e da destruição do nosso país.

    A tua poesia deixa-nos um alerta.

    ResponderEliminar
  3. Peço desculpa à amiga Elvira, mas em parte do que disse eu discordo, a abstenção é o 1º sinal de descontentamento, os portugueses ao mostrar este cartão vermelho ao PSD, embora seja para o poder local, já o fazem refletir, se é que quer ver e a maior lição esteve na cidade do Porto, dizendo não aos partidos, aqui a Figueira da Foz também não foi atrás do folclore e disse sim a quem está a tentar pôr as contas em dia.
    O meu abraço a todos/as

    ResponderEliminar
  4. Ainda bem que vivemos em liberdade, para podermos, livremente, expressar as nossas ideias. Isso acontece porque vivemos em democracia, graças à escolho livre dos cidadãos poderem escolherem os seus representantes através do voto. Não votar é votar contra a continuidade da democracia e da liberdade. Não será por acaso que alguém disse, se lixem as eleições. É caso para pensar. Só quem seja contra a democracia o poderá dizer. Eu acredito que o primeiro-ministro gostaria mais de governo o país, em ditadura do que em democracia. Enquanto for vivo nunca deixarei de votar, a não ser que seja impedido de o poder fazer, por doença que não possa mesmo de maneira alguma deslocar-me ao locar da votação, ou por regime ditador. Sou da opinião que, todo aquele que já tem o direito de votar, que nunca o deixe de fazer. Se é que não deseja retroceder ao tempo da ditadura.
    Não tenha saudades da ditadura! Para a amiga Elvira, para o amigo Luís e para o amigo António, desejo um bom dia, e obrigado pelos vossos comentários.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  5. O Passos já afirmou que não vai mudar uma virgula, do «bom trabalho» que na sua optica tem vindo a fazer, ora se assim for quer dizer que o Pais vai ficar cada dia pior.
    Um abraço
    Virgílio

    ResponderEliminar
  6. Há gente que acredita que a abstenção é um meio de protestar contra a política vigente. Infelizmente não me parece que isso seja verdade. Eu prefiro votar "contra a corrente" para dar alguma utilidade ao meu voto. Por exemplo, como as coisas estão em Portugal não faz mal nenhum votar na CDU, pois o mais que poderia significar seria eleger 2 deputados em vez de 1.

    ResponderEliminar
  7. Olá amigo Edu!
    Passando para deixar meu fraterno abraço e me encantar com seus posts.
    Beijos
    Sol

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010