segunda-feira, 5 de agosto de 2013

«PRÓXIMA TEMPESTADE»

Portugal endividado!
Com a corda ao pescoço
Pela Tróika, empurrado
Para o fundo do poço...
Um vaidoso desiquilibrado
Arreigado à teimosia
Nunca deu canto do recado
Exagera em demasia...
Diz que a culpa é do passado
Para justificar o presente
Com as provisões falhadas
De tudo, diz estar consciente!
Na panela as caldeiradas
Ao lume em cima da trempe
Cheiro a esturro estão queimadas.
Sem esperança na caminhada
Mais incerteza se produz
Há muito tempo esperada
Ao fundo do túnel uma luz...
Quando se acenderá, não se sabe
Aumentam as desconfianças
 Aproxima-se catastrófica tempestade
Para as portas preparam as trancas!

4 comentários:

  1. Luz ao fundo do túnel, é coisa que não se vê, e pelo andar da carruagem vamos ficar ás escuras por muito tempo.
    Um abraço
    Virgilio

    ResponderEliminar
  2. Coelho está na Manta Rota
    Melhor estivesse na caçarola
    Gostava de ferrar o dente
    A quem me dá cabo da tola!

    ResponderEliminar
  3. Aquele coelho tem carne envenenada
    Nem nas feras o podem comer
    A caldeirada está sendo preparada
    O vento forte faz as portas bater!

    O que têm eles guardado na manga
    Isso a gente ainda não saber
    Governados por gente sem vergonha
    Boas coisas não irão acontecer!

    ResponderEliminar
  4. Ola Eduardo, vim lhe agradecer a belíssima rima, como sempre muito bem feita.
    É sobre teu texto, é assim que funciona as "intemperes" socio-politicas;rsrs.
    Adorei a nova cara do blog, ficou muito legal.
    Uma semana iluminada a você!
    Um grande abraço!

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010