sábado, 20 de julho de 2013

"O BURACO"

Já em 2004, segundo o autor, em Lisboa,
havia um buraco onde cabia um autocarro. 
Nove anos depois há um buracão
Que está a engolir os portugueses

No reino de Sua Alteza 
Sete rios nasceram
Parridos p'la natureza

Sete rios naturais 
Que foram transformados
Em pequenos canais

Com o decorrer do tempo
Os rios mudaram a direcção
Para os lados de São Bento

Isto só veio a acontecer
Porque o Santo, já cansado
Acabou por adormecer

A LISBOA ESBURACADA
Tem um buraco bizarro
Com a boca escancarada
Para engolir um autocarro.
(António Maria Veríssimo)

2 comentários:

  1. Esburacados iremos ficar todos nós, quando a Tróika e os outros credores começarem a disparar as armas pela falta dos juros a caírem nas suas contas, a coisa está a ficar mais preta que a ferrugem, agora a minha preocupação duplicou, entre mortos e feridos alguém vai escapar, espero que sejam os fuzileiros porque estão habituados a rastejar e à ração de combate.
    Cá vai o meu abraço à fuzileiro

    ResponderEliminar
  2. Que o buraco existe, parece não haver dúvidas, era interessante saber quem o fez, porque quem o vai tapar, isso não há dúvidas! O Zé, como sempre.
    Um abraço
    Virgílio

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010