quarta-feira, 12 de setembro de 2012

"DEPOIS DA MEIA-NOITE!"...

Aqui vai uma explicação muito pertinente para uma questão actual: A jornalista espanhola Pilar del Rio (viúva de José Saramago) costuma explicar, com um ar de catedrático no assunto, que dantes não havia mulheres presidentes e por isso é que não existia a palavra presidenta...Daí que ela diga insistentemente que é Presidenta da Fundação José Saramago e se refira a Assunção Esteves como Presidenta da Assembleia da República. 
Ainda nesta semana, escutei Helena Roseta dizer: «Presidenta», retorquindo o comentários de um jornalista da SICnotícias, muito segura da sua confirmação...A propósito desta questão recebi o texto que se segue e que reencaminho: Uma belíssima aula de português. Foi elaborada para acabar de uma vez por todas cpm toda e qualquer dúvida se temos presidente ou presidenta. A presidenta foi estudanta?  Exista a palavra PRESIDENTA? Que tal colocarmos um "BASTA" no assunto?
No português existente os particípios activos como derivativos  verbais. Por exemplo:  o particípio activo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar é mendicante...Qual é o particípio activo do verbo ser? O particípio activo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade...Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente, ou inte.
Portanto, a pessoa que preside é PRESIDENTE, e não "presidenta", independentemente do sexo que tenha. Se diz capela ardente. e não não capela "ardenta" ; se diz estudante, e não "estudanta"; se diz adolescente, e não "adolescenta"; se diz paciente, e não "pacienta". Um bom exemplo do erro grosseiro seria: "Acandidata a presidenta se comporta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado eleganta para tentar ser nomeada representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas atitudes barbarizantas, não tem direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta".

4 comentários:

  1. Haja alguém que ensine o bom português, para aqueles, ou aquelas que tiraram licenciaturas num ano, como os outros que chegam a Ministros e nos conduziram por caminhos cheios de pedras e silvas, essa tal de Pilar, teve tempo de aprender com quem sabia.
    O meu abraço

    ResponderEliminar
  2. Muito bom o texto Eduardo, ri muito aqui com o desfecho, kkkkk. Muito boa aula de português, vindo de um legítimo dono da língua.
    Grata pelas tuas palvras.
    Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  3. Já conhecia este texto que me pareceu muito claro. Ainda assim continuam a haver pessoas que se querem ou se julgam mais espertas que os outros.
    Talvez não tenham mais nada para se afirmar e estas calinadas ficam-lhes bem,com adjectivos qualificativos.

    ResponderEliminar
  4. Não discuto onde está a razão, por falta de tempo não estudei para além da quarta classe, pois obrigaram-me a vergar a mola logo aos 11 anos, mas uma coisa posso dizer, e essa sem sombra de duvidas, prefiro de longe as presidentes aos presidentes, se forem bonitas então melhor ainda
    Um abraço
    Virgilio

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010