domingo, 22 de abril de 2012

"A BOLA QUE ROLA"

A bola que rola,
pela relva, a pontapear
por causam dela ficam milhões,
sem impostos pagar.
São esses os espertalhães
que andam por aí a refilar,
com outros comilões,
que não se fartam de gabar,
por que têm as mãos cheias de tostões,
a eles próprios se elogiar. 
A bola é redonda,
quando na baliza não entrar,
se coloca na conta,
para o árbitro controlar.
Quem com justiça reclama
nada, mesmo, adiantar.
Manda marcar penalti sem existir,
e assim se dá a volta ao resultado,
porque o dinheiro muito influir,
 está assim determinado.

7 comentários:

  1. Texo bem reflexivo, é a condição humana, desumana de viver desigualmente!

    Eduardo, agradeço seus sábios versos. É bem verdade a desigualdade desumana citada em teu comentário.
    Um grande abraço!

    22 de abril de 2012 11:18

    ResponderEliminar
  2. Um belo e reflexivo texto meu amigo...abraços de boa semana.

    ResponderEliminar
  3. Esses tempos fazem parte do passado, agora os árbitros, já devolvem o cacau que lhe cai na conta!
    O meu abraço

    ResponderEliminar
  4. Isso dizes tu,
    Desculpa duvidar
    O arroz continua cru
    Ao som dessa música não dançar!

    ResponderEliminar
  5. É verdade que o futebol é um comercio organizado e claro que se puderem fogem aos impostos como todo o mundo.

    Ate recebem apoios do estado para divertir o povo e não os deixar pensar na situação em que vivêmos.

    ResponderEliminar
  6. Ontem também o pessoal de Braga começou a "refilar" contra o sistema ao ver-se definitivamente arredado da luta pelo título.
    O «sistema» entende-se por uma espécie de máfia onde só mama quem for da família.
    Ás vezes dou comigo a pensar se o Benfica também fará parte do tal sistema! É que eu tenho mamado tão pouco!!!

    ResponderEliminar
  7. Um belo dia pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010