quinta-feira, 13 de outubro de 2011

FUTURO

O futuro me assusta
A pensar nas crianças
 Governação desajustada
Em nome das Finanças
Despedimentos sem colocação
Como pensa o senhor resolver 
Sem qualquer preocupação
Das pessoas não quer saber
Governa sem orientação
Seu  respeito pretende impor
Alterações na Nação
Como pensa, é errado, senhor
Se não sabe, procure, a razão
Pense bem no que pretende fazer
Não queira injustiças praticar
Porque as não irá vencer
Pior do que encontrou, irá deixar.

4 comentários:

  1. Futuro incerto e nos que mete medo...
    Teu texto traduz exatamente esse sentimento.
    Obrigada por tua visita no blog e teu coments,foi muito importante para o ultimo 4 por 4
    Bom fds,bjka

    ResponderEliminar
  2. Quando escreveste isto ainda não tinhas ouvido o Passos Coelho, pois não?
    Seriam mais duras as tuas palavras se fosse o caso.
    A continuar assim qualquer dia ainda temos que ir pedir esmola!

    ResponderEliminar
  3. Agradeço as palavras Eduardo. o poema é a certeza de 19 anos sem minha mãe, sempre a mesma data,dessessete outubros, sempre a mesma certeza, a morte.
    Um abraço.

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010