domingo, 28 de novembro de 2010

PEQUENO RESUMO DA HISTÓRIA DE MINHA VIDA.

                          Quando era, ainda, menino no que pensava
                              e o que desconhecia um dia vir a ser?
                                       De muito novo fui pastor
                                           e no campo trabalhei.
                                         Aos vinte anos de idade
                                      para o Exército fui chamado.
                                  Depois do serviço Militar cumprido,
                                      na construção civil trabalhei.
                                          Para a Polícia concorri.
                                            tendo sido admitido,
                                           fui policia e não ladrão.
                                          Sempre do lado da razão
                                       para  injustiças não vencerem.
                                              Certo dia a pensar,
                                  no futuro, novos caminhos percorrer.
                                      Resolvi a subchefe concorrer,
                                      pedido de admissão formulei.
                                             Através de petição,
                                            ao Comando enviada.
                                        Recebida e registada ficou
                                              as provas fui fazer.
                                             Em todas eu passei,
                                   na Escola  Prática de Polícia entrei.
                                          Para o curso frequentar,
                                    cerca de nove meses por lá andei.
                                          No final pela porta sai,
                                          por onde tinha entrado.
                                      Com o Diploma de Aprovado,
                                          na mão contente fiquei.
                                          Promovido a Subchefe.
                                          para o Horizonte a olhar.
                                        Imaginei imenso jardim ver,
                                     lindas rosas várias cores tinham.
                                       Espinhos junto a elas haviam,
                              em alguns rostos, lábios, sorrisos se viam.
                                    Para suas intenções disfarçarem
                                          pela minha honestidade.
                                           Fui vítima de pressões.
                                            Defensor da verdade,
                                           não defendo aldrabões
                                                  Sou cidadão,
                                             em defesa da justiça.
                                         Nunca me deixei subornar,
                                       oriundo deste povo exemplar.
                                          A quem merece dou valor
                                         Também, já fui camionista
                                                   e vigilante.
                       Sou português, de coração Alentejano. Lutador
                                             

4 comentários:

  1. Uma pequena grande história, Eduardo.
    Atreve-te e dá-nos mais uns capítulos que a gente vai gostar com certeza.
    Adivinha-se que tiveste uma vida cheia de experiências e poderias partilhá-las connosco.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Atã que nadava mais nada Eduardo.
    Faço das palavras do Tintinaine minhas.
    Atá nã havia istórias dos Chaparros.
    Amigo Eduardo, compreendo e sei quanto é difícil falarmos de nós.
    Tenho M de testemunhos, mas cada vez que falo de mim é-me mais pesado e sentimental.
    O meu testemunho que estou a desenvolver no meu/nosso blogue marinheirododouro.blogspot.com é-me gratificante, mas reconheço que mesmo assim não me é fácil, mas que raio! ao Eduardo desenvolve mais um bocadinho da tua juventude.
    Sabes :- Nós aqui no norte adoramos as anedotas dos alentejanos, acredita que não é no sentido desprestigiante, mas uma anedota a envolver personagens do norte, não encontramos piada, mas a mesma se se meter um bocadinho de Alentejano já tem imensa piada.
    A melhor sorte do mundo e aquele abraço.

    ResponderEliminar
  3. Não prometo de mim muito falar, apesar de nada ter que de minha vida esconder. No entqnto, hà sempre algo para dizer.
    Por, sempre, ter defendido a verdade, por exemplo:- Os corruptos que na Polícia conheci,
    ficaram contra mim. Mas isso não me incomoda. As boas ou más acções são sempre de quem as pratica!
    Eu são contra tudo aquilo que prejudica as pessoas honestas, e não só?

    ResponderEliminar
  4. Faço minhas as palavras do Tintinaine e do Valdemar, o Amigo Eduardo deve ter o «saco» a abarrotar de histórias, que poderia compartilhar conosco, se assim o entender, veja o meu caso, que praticamente me tornei num «Monge, que não abandona o seu Mosteiro», e me «despi» até de coisas que nunca tinha tido coragem para falar, e algumas delas me aliviaram bastante.
    Um abraço
    Virgílio

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010