terça-feira, 30 de novembro de 2010

O MEU VIGÉSIMO SÉTIMO ANIVERSÁRIO.

Hoje, resolvi falar, da maneira, como passei o dia 9 de Março de 1969. Como, onde e com quem estava, nesse dia. Respeitante à saúde e à felicidade, devo dizê-lo que estava no meu melhor. O local, Aldeamento do Muiei, (Quimbo), referente a povoação da população negra de Àfrica.
Localização entre as cidades de General Machado (Camacupa) e Malanje, próximo do Rio Luando, a cerca de seis quilómetros da povoação com o mesmo nome. Distrito do Bié (Kuito), cuja capital era Silva Porto, hoje Kuito, em Angola. Os acompanhantes  que comigo comemoraram o meu vigésimo sétimo aniversário, dia 9 de Março de 1969, foram dois camaradas de profissão e três amigos militares que pertenciam a uma companhia do Exército aquartelda no Luando. Nenhum dos meus familiares foi possível estar presente.
Quando em Junho de 1968 me apresentei no Comando da PSP, do Kuito, fui destacado para o local acima citado, Muiei, tinha como missão  enquadramento de milícias, que pertencia  à Defesa Civil de Angola, mas  devido a especiais circunstãncias e por falta de pessoal. Em parte, era desempenhado pela Polícia de Segurança Pública, que distribuia os seu elementos para junto da populações negras dos locais mais remotos.
Durante um ano junto daquela maravilhosa população, da qual muito me orgulho ter dado o meu melhor, ao mesmo tempo com eles muito ter aprendido, contribuindo com os meus poucos mas muitos sinceros conhecimentos, conquistar a sua confiança, para o bem de todos. Tarefa que me foi bastante fácil, visto que entre mim e a população havia  recipocro respeito. Não olhando a cor da pele, porque todos somos humanos, cujo sangue que nos corre nas veias é igual  em todas as pessoas ,vermelho.
Junto daquela população encontrei o lugar ideal, sem ter que enfrentar os que nada e ninguém respeitam, julgando seres os melhores do mundo. Tendo durante um ano vivido na mais tranquila paz deste planeta terra. Um dos mais felizes anos de minha vida. Ter passado pela Polícia de Segurança Pública, foi para mim uma boa experiência, embora ás vezes revoltante, por causa do procedimento menos correcto de alguns dos seu elementos, que pouco ou nada tinham e muito queriam  ter, sem que para isso com honestidade tenham cumprido o seu dever.
Ao fim de um ano ali de serviço, eu e meu camarada, os dois da PSP,  fomos rendidos, cuja rendição surpreendeu a população, a qual junto do segundo Comamdante Distrital, da PSP, que se deslocou ao local, pediu para a nossa continuação, tendo este informado que no nosso lugar ficavam outros dois polícias. Porém, a população disse-lhe que não seria a mesma coisa! Visto já estarem habituados ao nosso correcto procedimento e pelo  modo de relação que havia em ambas as partes.
Todavia, fomos confrontados com a seguinte pergunta vinda desse Senhor 2º. Comandante, que porventura, era mulato, oriundo de Caco Verde. Afinal o que é que  vocês fazem aos pretos para que eles não queiram que saiam daqui? Pelo que lhe respondi, Ó! meu tenente a resposta é só uma  tratamos as pessoas como devem ser tratadas e como seres humanos que o são, e por serem  dignos do nosso melhor e mais sincero respeito, disse eu.
Para terem a certeza de que tudo correu na mais tranquila e sã camaradagem, mirem nossas imagens na foto acima mencionada, onde podem verificar de que ali naquele lugar, e preciso momento, reinava a tranquilidade e a paz. Porquanto, ainda, estavamos só nos apiritivos, preparando o estâmago para receber o excelente almoço que havia sido, especialmente, confecionado com as melhores carnes adquiridas junto dos produtores de gado da região. tendo prolongado-se até noite dentro, imaginem como estariamos no final?

3 comentários:

  1. Na ronda…

    Várias perguntinhas, atrevidas…
    Mas antes terei que dizer-te que o artigo está, para mim extremamente bem escrito.
    Porém a primeira pergunta é: passou-se isto contigo mesmo?
    Porque não escreves, na íntegra, na primeira pessoa como sendo tu o Eduardo, e a segunda questão; Onde foi isto passado, em Angola ou Moçambique?
    Provavelmente fui eu que não que li tudo a detalhe.
    Mas como falas em Silva Porto deduzo que foi em Angola, desculpa a minha ignorância mas ao que parece fizeste também uma comissão em Angola, o que me leva a crer que seguiste a tropa, verdade?
    Depois falas na PSP conclui assim que foste pertence das forças de segurança pública tambem, fostes?
    Para concluir, a culpa deve ser minha por não tenho lido mais à cerca de tua pessoa.
    Olha! Desculpa!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Nada tens que pedir desculpa. Desculpa tu, de facto não faço refência ao meu nome, cujo título é O MEU VIGÉSIMO SÉTIMO ANIVERSÁRIO,como sou eu que escrevo o texto, achei não ser necessério mencionar o meu nome, porquanto começo por dizer, hoje, resolvi falar do meu aniversário, refiro-me a mim no abstracto.
    Isto foi em Angola, de facto deveria ter escrito assim Kuito-Angola, já lá está colocada, mais abaixo está a seguinte frase Defesa Civil de Angola.
    Pertenci à PSP e fui para Angola, integrado na 3ª. Companhia Movel de Polícia, onde estive sete anos.
    Falo dos meus amigo do Exécito, que estiveramm nesse meu aniversário. Obrigado pelos teus reparos e fico contente por teres gostado. Um abraço. Eduardo.

    ResponderEliminar
  3. Grande jantarada. Pena foi estar já ligada à tua saída dessa terra. E depois do Kuito? Qual foi o destino seguinte?
    Nesse mesmo dia festejei eu o meu 25º e primeiro aniversário depois de regressar de Moçambique e abandonar a Marinha. E já estava casado e quase a ser pai.
    Belos tempos!

    ResponderEliminar

CANCIONEIRO DO NIASSA

IMAGENS DO NOSSO CONVÍVIO, EM 08/10/2011.

IMAGENS DO CONVÍVIO REALIZADO DIA 9 DE OUTUBRO DE 2010